ACIR questiona bancada federal sobre recurso para distritos industriais




O presidente da Associação Comercial Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR) Juarez Orsolin se reuniu com o coordenador da bancada federal de Mato Grosso, senador José Antônio Medeiros.

No encontro ele cobrou uma posição sobre o recurso de uma emenda impositiva da bancada, atualizado no valor de R$ 56 milhões, para melhoria da infraestrutura dos distritos industriais de Rondonópolis.

Todo o montante deverá ser destinado exclusivamente para a infraestrutura dos distritos, visto que os parlamentares mato-grossesenses se comprometeram em garantir o recurso.

“Toda a bancada fez esse compromisso e se propôs encaminhar o valor para os distritos industriais e assim vamos trabalhar até que seja feito o investimento”, ressaltou o senador José Antônio Medeiros.

O recurso foi citado durante uma audiência realizada pelo Ministério Público, em abril, para tratar da situação caótica em que se encontram os distritos.

Participaram representantes do município, da classe empresarial e comercial, dos transportadores de cargas e sindicatos ligados à transportadoras e indústrias da alimentação.

Deverão ser contemplados os distritos Industriais Maria Vetorasso, Rondonópolis, Anésio Pereira de Oliveira e Augusto Bortoli Rasia.

Como garantia de que esse recurso se concretize, o senador Medeiros afirmou que vai realizar uma audiência pública envolvendo toda a comunidade local, o poder público municipal e trazer toda a bancada para alinhar os trabalhos em vista de dar os encaminhamentos necessários para que o recurso seja investido em sua totalidade nos distritos industriais.

O presidente da ACIR, Juarez Orsolin, junto do diretor Edson Ferreira, comentou que, como entidade que representa a classe industrial, se sente responsável por acompanhar e cobrar que o recurso seja de fato aplicado.

Para isso, acredita que o poder público municipal é parte essencial nesse processo com a elaboração de projetos que justifiquem tais investimentos.

Comissão 

Orsolin lembrou que na audiência onde foi tratado o recurso, ficou acertada a criação de uma comissão, formada por representantes da sociedade civil organizada, para acompanhar e cobrar a garantia das liberações e aplicação desse recurso, o que até o momento a ACIR não foi informada sobre nenhum andamento.

Na ocasião, a Promotoria de Justiça estipulou um prazo de dez dias para a Prefeitura apresentar os projetos, o que até hoje não aconteceu.