Menos de 10% das obras previstas pelo MT Integrado são executadas

Menos de 10% das obras de pavimentação previstas no programa MT Integrado foram executadas até agora. O programa criado no ano passado tinha como objetivo a pavimentação de estradas em 44 regiões do estado, mas até este mês apenas seis trechos foram asfaltados nos municípios de Torixoréu, Ribeirãozinho, Nova Guarita, Canabrava do Norte, Marcelândia e Nova Nazaré.

De acordo com o secretário de Transporte e Pavimentação Urbana do estado, Sinézio de Oliveira, pouco mais de 600 quilômetros de asfalto foram colocados. "Não chegamos nem a 50% da execução do programa. No primeiro ano, praticamente ficamos envolvidos com licitação e confecção de projetos, licitação de obras. Poucas obras foram dadas início no ano passado", afirmou. O programa disponibilizou mais de R$ 1 bilhão em recursos.

Ele alega dificuldades em tocar os projetos diante da burocracia financeira. "A grande dificuldade é a burocracia ambiental e regras de banco. Às vezes, o estado não está acostumado com isso. Está acostumado com a rotina de contratar com recursos próprios e quando pega um agente financeiro as exigências são maiores e, evidentemente, perde muito tempo com isso", argumentou o secretário.

Na maioria das rodovias estaduais de Mato Grosso a situação é crítica, de poeira, lama e buracos. No sul do estado, a MT-040, principal via que liga os distritos de Mimoso e São Lourenço de Fátima, está quase intransitável. A professora Isabel Cristina da Silva, que dá aula em uma escola da região, disse não se conformar com a situação. "A situação é bem crítica, muitos buracos e a estrada se torna perigosa", disse.

Odair Jesus é comerciante e faz entregas nas fazendas. Por isso, passa com frequência pela rodovia. 'Só buraco e mais nada. Falta asfalto para melhorar as condições para andar", afirmou.

A MT-040 está na lista das vias que devem ter trechos asfaltados por meio do programa, mas a obra não começou.