Várzea Grande realiza Conferência dos Direitos da Pessoa com Deficiência   

Picture of Secom/VG

Secom/VG

Várzea Grande realiza Conferência dos Direitos da Pessoa com Deficiência   

Compartilhe:

Várzea Grande é o primeiro município do Estado de Mato Grosso a realizar a Conferência dos Direitos das Pessoas com Deficiência e, a discutir políticas públicas voltadas para esse público em especial.  Realizado no Anexo II da Secretaria de Educação Cultura, Esporte e Lazer, localizado no bairro Jardim Marajoara, o evento pauta questões e diretrizes voltadas à implantação de planos e políticas públicas de acessibilidade, saúde, habitação, e educação, levando em consideração a efetiva fiscalização dos serviços prestados a esse segmento tanto pelos órgãos governamentais quanto pela sociedade civil.

“Este é um momento importante para as pessoas com deficiência, pois realizando essa conferência estamos assumindo o papel de discutir e encontrar soluções que contemplem este público em especial. Em Várzea Grande, nestes três anos de gestão do prefeito Kalil Baracat, ele acreditou na nossa proposta e vem acreditando em nosso projeto social. Temos muitas pessoas com mobilidade reduzida e outras deficiências e, essa primeira Conferência Municipal é justamente para discutir ações e serviços voltados para esses grupos. Precisamos discutir políticas públicas que venham ao encontro das nossas necessidades e, esse evento é o momento ideal para apresentarmos as nossas demandas, além de tentar, junto aos órgãos governamentais, apoio e compreensão as nossas causas”, destacou o presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Diney Ribeiro Campos.

Ele reafirmou a importância dessa Conferência e das temáticas que serão abordadas, dentre eles o cenário atual e futuro na implementação das pessoas com deficiência construindo um Brasil mais inclusivo.

A primeira-dama e Promotora de Justiça, Kika Dorilêo disse que a gestão do prefeito Kalil Baracat é muito sensível a todas as questões e sabe que para atingir de forma integral o seu munícipe é preciso sim essa política transversal. “E nós temos aqui em Várzea Grande um exemplo de como isso funciona e muito bem, a integração entre todas as secretarias. Em maio, deste ano, o prefeito inaugurou a Casa de Sarita e lá são ofertadas para mulheres e meninas em estado de vulnerabilidade social, serviços de saúde, educação, cultura, esporte e lazer e assistência social. E nós temos então esses tripés que sustentam a política nacional da assistência social”, destacou.

Kika Dorilêo disse ainda que é com grande alegria e honra saber que estamos fazendo história, onde Várzea Grande realiza sua 1ª Conferência Municipal para discutir os direitos das pessoas com deficiência. “É Várzea Grande mais uma vez na vanguarda porque dos 141 municípios do Estado é o primeiro a realizar essa conferência municipal. Estamos todos muito felizes, por essa demonstração da gestão do prefeito Kalil Baracat que procura ser cada vez mais participativa e inclusiva”.

O secretário de Saúde, Gonçalo Barros, disse que é um desafio muito grande desenvolver e criar políticas públicas que venham solucionar os entraves desse público em geral. “Temos um problema muito sério na cidade que é a questão da acessibilidade. Somos um município, que de certa forma é colado na capital, e temos aí o nosso desequilíbrio estrutural que não podemos esconder, e que ao longo dos anos foi se construindo, e essa população que depende da acessibilidade paga caro com isso, e nós reconhecemos e precisamos melhorar urgentemente”, destacou.

O gestor anunciou na ocasião a criação de um novo Centro Especializado de Reabilitação – CRIDAC. “Temos no município uma unidade deste órgão, mas não é adequado, nem o que precisa ser e nem o que os usuários que dependem dessa assistência necessitam, e esse é um direito constitucional que precisamos avançar nesta questão. Em 2021 fizemos um projeto que foi aprovado no Ministério da Saúde para a criação desta nova unidade.  Buscamos o terreno que era uma batalha, pois precisava ser na região central da cidade, e agora estamos somente aguardando a liberação da Vigilância Sanitária do Estado para dar sequência na liberação de recursos e início das obras, que é importantíssima para essa população e para todos, pois só vivemos em sociedade quando todos tiverem seus direitos respeitados e seus deveres cumpridos”.

A Superintendente Estadual da Pessoa com Deficiência, Thaís Augusta de Paula – primeira mulher a assumir a pasta – disse que há 16 anos é militante desta causa, e começou a sua luta aqui em Várzea Grande, sua terra natal. “A causa de vocês é a minha causa hoje, e estar aqui falando com vocês meu coração se alegra. Sei que precisamos avançar. Enquanto Governo do Estado, sabemos da realidade não só de Várzea Grande, mas de todo o Estado. Percorro Mato Grosso inteiro e posso afirmar que ainda encontro pessoas com deficiência amarrada em cadeira de fio e choro por essa visão, mas vou lá e faço acontecer a mudança, porém não consegui ainda alcançar os 141 municípios de Mato Grosso”, confidenciou.

Para a gestora nunca será possível chegar a 100% das demandas assistidas se não tivermos união, com todo o segmento da pessoa com deficiência. “Não conseguimos avançar ainda por causa da vaidade de segmentos. Mas a luta do governo, juntamente com a Prefeitura de Várzea Grande é para que a gente traga melhorias e hoje estamos aqui para discutir políticas públicas para as pessoas com deficiência, seja na saúde, assistência, esporte e lazer. Hoje estou cadeirante, mas nem por isso parei de lutar por minha causa, que é a causa de vocês. E não adianta eu ter uma cadeira top de linha e saber que meus colegas não têm essa mesma condição, mas é preciso lutar com diálogo”, observou.

Thaís de Paula, na ocasião, elogiou a Secretaria de Educação por estar atuando de forma inclusiva e que é a base da formação dos alunos, a condução da pasta da Saúde que também tem feito a diferença no município, e o atendimento humanizado pela assistência social. “Eu desde o ano passado articulei para que Várzea Grande fosse o primeiro município escolhido para fazer a primeira semana descentralizada da pessoa com deficiência, porque o meu sonho é viver para ver um Centro de Reabilitação que atende a todos os tipos de deficiência. Se me perguntarem se o número de pessoas com deficiência vai diminuir, eu digo que não, porque somos uma sociedade que produz pessoas com deficiência por causa da intolerância”.

PALESTRANTE – O advogado José Rodrigues Rocha Júnior destacou a importância da Conferência Municipal que está cumprido a portaria que foi estabelecida pelo Governo Federal que convocou a Conferência Nacional para 2024. “Nessa estruturação ela propõem que os municípios façam as discussões compreendendo as dificuldades dos seus territórios, da saúde, da educação, da falta de acesso à cultura e de uma série de situações que eles convivem com elas, e que muitas dessas questões estão sendo discutidas nesse evento, e que precisam ser estabelecidas no município. No ambiente nacional ainda tem uma discussão para construção de um fundo nacional da pessoa com deficiência, portanto para compreender esses processos de construção e criar isso na base, o Governo do Estado criou um fundo da Pessoa com Deficiência, e que estamos aqui para pautar essas prioridades e levar também os delegados que serão eleitos aqui para participar da etapa estadual e, posteriormente, a etapa nacional”.

Confira mais fotos

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também