Universidade Federal de Rondonópolis tem ações para enfrentar o covid-19

Entre elas, a produção de álcool em gel e respiradores mecânicos


A Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) começa a distribuir, nesta sexta-feira (03.07), cinco mil litros de álcool em gel para os 19 municípios da região Sudeste de Mato Grosso. A produção é resultado de uma parceria realizada com a Universidade Federal de Mato Grosso, a UFMT.

O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 03, durante live organizada pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) para tratar dos próximos passos na estruturação da UFR.

Segundo o professor Aristides José, diretor do Instituto de Ciências Exatas e Naturais da universidade, outros projetos estão em execução para ajudar no combate ao covid-19. Entre eles, estão a realização de exames para detectar o vírus, um trabalho feito em parceria com o Laboratório Central de Mato Grosso, Ministério Público e iniciativa privada. A meta era realizar apenas mil exames, mas graças às parcerias, a meta foi superada. “Hoje, já realizamos dois mil exames”, disse.

Estudantes do curso de Engenharia Mecânica também desenvolveram um novo modelo de respirador mecânico – para ser usado em UTIs – que atendem pacientes com covid-19. Quatro protótipos estão em fase de teste na Santa Casa de Rondonópolis e a meta é fornecer 25 respiradores mecânicos ao final do projeto.

Outros projetos incluem o atendimento on-line pelo curso de Psicologia a pessoas que enfrentam a pandemia e a elaboração de 20 vídeos de orientação para empresários sobre como enfrentar o covid-19 e, ao mesmo tempo, manter o seu empreendimento.

A reitora pró-tempore, Analy Polizel, reforçou o papel da universidade neste momento de pandemia e garantiu que novas lutas ainda devem ser empreendidas para a conclusão do processo de implantação da universidade.

Criada em 2018 com o desmembramento da Universidade Federal de Mato Grosso, a UFR hoje oferece 19 cursos de graduação para cerca de 4.300 alunos. Entre os próximos passos, está a do preenchimento de cargos mediante realização de concurso público.

O processo de desmembramento da UFMT e a criação da UFR foi lembrado pelo empresário Gastão Matos, que representou na live a sociedade civil no conselho universitário, e por Dê Silva, presidente do Diretório Central de Estudantes.

Já o senador comemorou os resultados da UFR . “Temos uma universidade inserida no contexto social, que já está ajudando a salvar vidas”, disse. Ele lembra que a UFR (quando ainda era parte da UFMT) foi pioneira ao criar a Universidade da Terceira Idade e reforçou o seu compromisso na abertura de novas universidades independentes em outras regiões de Mato Grosso, como o Araguaia e o Nortão.

“Sou um entusiasta. Trabalhei para a criação da UFR e acredito que conseguiremos abrir outras universidades em Mato Grosso. O Estado é muito grande”, lembrou.