Unidades de saúde de Rondonópolis estão mobilizadas na Campanha Nacional contra Influenza a partir de 10 de abril

Unidades de saúde de Rondonópolis estão mobilizadas na Campanha Nacional contra Influenza a partir de 10 de abril
Arquivo/Agência Brasil

Em 2019 a Campanha Nacional de Vacinação contra o Vírus da Gripe vai de 10 de abril a 31 de maio. A meta do município, segundo as enfermeiras da Secretaria Municipal de Saúde responsáveis pela imunização Magda Rosa e Rosângela Adriana Borges da Rocha  é atingir 90% do grupo prioritário, que totaliza 56.159 indivíduos.

Assim, todas as unidades de saúde da Rede Pública estarão atendendo a população das 7h às 17 horas. Além desses, outros locais também estarão distribuindo a vacina: a Escola Estadual Professora Stela Maris, na Rua Oito, no Residencial Edelmina Querubim, a Escola Municipal Alfredo de Castro, no Bairro Magnólia e a casa do Sr. Novinho, no Residencial Casaldáliga, quadra 05, casa 16, no mesmo horário.

Este ano a novidade é que as crianças do grupo prioritário, que antes abrangia aquelas de seis meses a menores de cinco anos, agora contempla as que vão até menores de seis anos.

Também estão no universo prioritário gestantes e puérberas com até 45 dias após o parto; pessoas com 60 anos ou mais; adolescentes de 12 a 21 anos cumprindo medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; trabalhadores da área da saúde e professores de escolas públicas e privadas; indígenas; indivíduos com doenças crônicas como diabetes, bronquite e asma, entre outras.

Ainda integram a fatia da população com prioridade para tomar a dose pacientes em condições clínicas especiais, como aqueles que fizeram algum tipo de transplante, portadores de HIV e os que estão tratando de câncer em virtude da quimioterapia e da radioterapia que levam à baixa imunidade. “No entanto, essas pessoas devem apresentar prescrição médica devido ao seu estado de saúde mais suscetível”, observa Rosângela.

Algumas medidas simples podem prevenir o contágio da doença. O Ministério da Saúde recomenda que não se compartilhe alimentos nem objetos de uso pessoal como toalhas, copos e talheres.

Ao tossir ou espirrar é importante cobrir o nariz e a boca com lenço descartável e, após o ato, lavar as mãos. Outra orientação indica que, se possível, deve-se evitar locais de grande aglomeração. Usar álcool em gel também é hábito importante.

Vale destacar que a lavagem das mãos precisa ocorrer com frequência e durar de 40 a 60 segundos, quando o indivíduo, depois de molhar as mãos com água e aplicar quantidade suficiente de sabonete para ensaboá-las, deve esfrega as palmas entre si.

Após isso, é necessário esfregar a palma da mão direita contra o dorso da esquerda e em seguida inverter, fazendo o mesmo com a outra mão. Na sequência, os dedos de ambas as mãos devem ser entrelaçados com as palmas voltadas uma para a outra de forma que se friccione os espaços entre eles.

O próximo movimento é segurar o polegar esquerdo com a mão direita fazendo movimentos circulares sobre ele e, então, repetir a manobra no direito. Como última etapa, as pontas dos dedos e unhas devem ser pousadas sobre a palma da outra mão realizando movimentos circulares. Então, basta enxaguar bem as mão e secá-las com papel toalha descartável, que também deve ser utilizado para fechar a torneira da pia.