Thiago Silva defende preço justo na bacia leiteira dos produtores rurais em CPI

Picture of Da Assessoria

Da Assessoria

Deputados na busca de soluções para a categoria de produção leiteira em MT

Thiago Silva defende preço justo na bacia leiteira dos produtores rurais em CPI

Compartilhe:

Em reunião na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (26), que investiga possíveis infrações que interferem economicamente na cadeia produtiva do leite e derivados em Mato Grosso, o membro titular e deputado estadual Thiago Silva (MDB) posicionou sobre a importância do fortalecimento e da geração de oportunidades ao médio e pequeno produtor da bacia leiteira.

“Reconhecemos a potência que Mato Grosso possui na cadeia produtiva com a atuação direta do produtor de leite. Infelizmente, há muitas divergências e muitos abusos, até mesmo, em alguns momentos tem a formação de cartéis para que o produtor rural seja prejudicado com a margem de lucro ataxada. E o objetivo desta CPI é fortalecer a agricultura familiar, com preço de equilíbrio do leite que venha a suprir o custo mínimo e, também, o produtor tenha uma margem de lucro para manter e expandir o seu negócio por todo Mato Grosso”, posicionou o parlamentar.

Ele destaca que, atualmente, Mato Grosso conta com mais de 500 assentamentos rurais existentes, sendo que a maioria dos produtores vivem do leite e deparam com dificuldades referentes à manutenção das vacas em lactação, venda e a obtenção de lucro justo do leite que favorecem que se mantenham no campo junto de sua família.

“O objetivo desta CPI é dar condições para que o Estado continue crescendo e o pequeno produtor tenha a sua oportunidade para continuar tendo o seu lucro e agregar valor ao leite e seus derivados. Recebemos muitas reclamações de produtores que se sentem prejudicados”, posicionou Thiago Silva.

Na oportunidade, o parlamentar esteve junto ao deputado estadual Gilberto Cattani (PL) que preside a CPI do Leite, em que trabalham com essa demanda para garantir soluções nas dificuldades enfrentadas pelos produtores da bacia leiteira de Mato Grosso.

Comissão – A CPI do Leite iniciou no mês de fevereiro deste ano, em um prazo de 180 dias. Com a data expirada desde o dia 22 de setembro, na reunião foi formalizada a prorrogação do prazo da Comissão para dar continuidade aos trabalhos que tratam sobre os impactos sociais e econômicos causados desde a produção até a destinação final do leite.

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp