Sinfra atualiza dados e Rondonópolis não “lidera” ranking de obras paradas

Sinfra atualiza dados e Rondonópolis não “lidera” ranking de obras paradas

Desde a divulgação do ranking de obras paradas feita pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT) no início deste mês de julho, a Secretaria Municipal de Infraestrutura de Rondonópolis (Sinfra) trabalha na atualização dos dados junto ao sistema do tribunal com o objetivo de que as informações apresentadas coincidam com a realidade. O trabalho, que ainda está em andamento, já resultou em redução significativa das obras tidas como “paradas” no sistema Radar Obras Paralisadas do TCE/MT.

Até esta quarta-feira (28), o número de obras apresentadas como “paradas” em Rondonópolis já caiu de 252 para 89 e com isso, o Município também reduziu sua colocação no ranking, passando de primeiro para quarto. A intenção da Sinfra é finalizar a atualização nos próximos dias. Segundo a Secretaria, Rondonópolis tem hoje 13 obras paralisadas, sete delas geridas pela Sinfra e outras quatro geridas pelas Secretarias de Saúde, Educação e Esporte e Lazer.

A secretária municipal de Infraestrutura, Claudine Logrado Fanaia, explica que os dados divulgados inicialmente no sistema Radar Obras Paralisadas do TCE/MT apresentavam muitas inconsistências. Nele estavam listadas como paralisadas obras já finalizadas e entregues à população e obras que foram retomadas e atualmente estão em andamento.

Ela ressalta que um dos problemas apontados pela equipe responsável pela atualização dos dados sobre obras junto ao sistema do Tribunal foi a falta de tempo disponibilizado aos municípios para realizar a atualização dos dados das obras, pois o sistema Radar Obras Paralisadas foi lançado no dia 8 de julho e colocado no ar para consulta do público ao mesmo tempo, não permitindo que as informações dos municípios fossem atualizadas em tempo hábil.

Também haviam dificuldades, conforme Claudine, na atualização das informações sobre as obras que foram paralisadas e posteriormente retomadas com um novo contrato. Neste caso, o sistema não contava com a possibilidade de informar que o novo contrato se referia a uma obra que estava parada e já inserida no sistema. Assim, os cadastros tinham duplicidade e essa mesma obra aparecia listada como paralisada e também em andamento. Como os números dos contratos eram diversos, o sistema entendia que cada número de contrato correspondia a uma obra diferente, o que causava a duplicidade. Essa questão foi resolvida pelo TCE/MT somente esta semana e o Município passou a atualizar as informações.

A secretária acredita que em algumas semanas as informações estejam devidamente atualizadas conforme a atual realidade do Município. Ela explica, contudo, que ainda há alguma dificuldade no processo, pois o sistema lista obras desde 2010, e será necessário cadastrar documentos relativos a essas obras para que sejam devidamente inseridas como obras finalizadas. “Estamos trabalhando para sanar todas as inconsistências para que o cidadão tenha acesso a informações reais”, afirma Claudine.

Noticias Relacionadas