Silvano Amaral recebe demandas de Nova Brasilândia

em audiência, medeiros cobra que plano de aviação regional saia do papel

O deputado estadual Silvano Amaral (PMDB) recebeu em seu gabinete, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o vereador Antomar Cardoso e Marilza Oliveira e Sérgio Ribeiro, moradores de Nova Brasilândia. A comitiva pediu a ajuda do parlamentar para intervir junto ao Banco da Terra, afim de que poços artesianos sejam perfurados no assentamento Serra Azul. Antomar justifica que, sem água, é impossível fomentar a agricultura familiar.

“O caso é muito grave. São dezenas de famílias que dependem exclusivamente do que produzem e sem água é impossível fazer qualquer coisa. Nossa comunidade pede socorro e nós recoremos ao deputado porque sabemos do seu compromisso com tantos municípios e não restam dúvidas de que ele irá olhar com carinho para o Serra Azul”, observou Antomar.

“Até achamos que o problema era a bomba que ajuda a água subir, quando descobrrmos que era por falta d’água que o equipamento queimava todas às vezes ue era ligado. Não existe outra saída a não ser perfurar novos poços para conseguir água”, destacou Sérgio, morador e empresário do município.



Outro pedido feito pela comitiva se trata da regularização fundiária dos assentamentos Santa Rosa e Lote 11, mais conhecido por Finca Faca. Segundo a moradora Marilza, que também é empresária no ramo de material de construção e móveis na região, o assentamento Santa Rosa existe desde 1991 e até hoje não conseguiu a emissão de escrituras pelo Incra.

Marilza alega que sem a titularidade da área os produtores dos assentamentos ficam impossibilitados de obter linhas de crédito junto ao governo federal. “Os assentamentos Santa Rosa e Finca Faca estão travados. É tão séria a situação que envolve as questões básicas de um ser humano. Como se alimentar, sustentar a família, vestir, calçar, estudar”, ressaltou.

Sobre as demandas, o deputado Silvano assegurou que irá acompanhar cada caso e que pretende o mais breve possível dar uma resposta às comunidades. “Meus assessores estão à disposição do vereador Antomar e faremos o que for possível para atendê-los. Infelizmente não depende só de nós. É nossa obrigação cobrar dos Poderes e acima de tudo, fiscalizar, porém, não depende de nós, enquanto deputados, executar qualquer ação”.