Servidores da saúde farão greve de 24 horas caso salários não sejam quitados até 11 de fevereiro pelo estado

Servidores da saúde farão greve de 24 horas caso salários não sejam quitados até 11 de fevereiro pelo estado
Foto: Assessoria

Os servidores da Saúde de Mato Grosso decidiram na última sexta-feira (11), a princípio, pela permanência do Estado de Assembleia Permanente.

A decisão foi tomada com a finalidade de oportunizar o diálogo por parte do governo.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde de Mato Grosso (SISMA/MT), Oscarlino Alves, o momento é de união da categoria e de construção coletiva.

“A Assembleia contou com cerca de 250 servidores de carreira, oriundos da capital e interior, que de forma intensa debateram e conjecturaram os possíveis caminhos para a categoria”, detalhou.

O estado permanente de Assembleia instaurado em 24 de setembro de 2018 será mantido.

Se por ventura o governo não quitar a folha salarial em sua integralidade, para servidores da ativa, aposentados e pensionistas até o dia 11 de fevereiro, a categoria decidiu dessa forma que fará uma paralisação no dia 12 de fevereiro, com parada de 24 horas.

A ação será deflagrada em todo Estado, abrangendo unidades ambulatoriais, hospitalares e administrativas, mantendo o efetivo de 30% da Urgência e Emergência, e desmarcando todos os procedimentos eletivos.

“Com verba alimentícia não se brinca. Se prioriza! Não aceitaremos mais atrasos. E mesmo se alguns receberem por faixa o espírito de solidariedade da nossa categoria será o diferencial de todos na luta por mais respeito. E diante disso os quase 6 mil servidores públicos da saúde deliberaram pela construção da greve por tempo indeterminado”, finalizou Oscarlino.