Serial killer “fura a fila” da vacina contra a Covid-19 e provoca revolta

Britânica de 67 anos foi condenada à prisão perpétua, em 1995, por ter assassinado dez pessoas

Foto: Reprodução

Uma serial killer britânica de 67 anos foi vacinada contra a Covid-19 de forma antecipada, fora da vez da sua faixa etária, e provocou revolta nas redes sociais. O caso ocorreu na na penitenciária HMP New Hall, em Flockton (Inglaterra), onde cumpre a pena máxima. As informações são do tablóide britânico The Sun.

Rose West foi condenada à prisão perpétua em 1995 por ter assassinado dez pessoas juntamente com o seu marido, Fred West, que acabaria se suicidando antes de ir a julgamento, nos anos 1970. A maioria das mortes ocorreu no porão da casa do casal, e muitos corpos foram enterrados dentro ou perto da residência, em Gloucester.

Ao The Sun, fontes disseram Rose é obesa, tem problemas de visão e luta para subir escadas. Por isso, ela é vista como “extremamente vulnerável”, o que a tornou elegível para antecipar a sua vacinação. Ainda segundo informações, a detenta teve reação ao imunizante e precisou ser acamada.




Nas redes sociais, internautas manifestaram indignação pela vacinação antecipada. “Absolutamente ridículo”, escreveu Andy Pugh na rede social. “Gary Glitter, Rose West… Quem mais vai tomar a vacina antes dos funcionários da prisão?”, ironizou Casper Gorniok. “Típico do sistema da ‘judicial’ britânico, que põe criminosos na frente dos cidadãos de bem”, postou uma terceira pessoa.

Em editorial, o “Sun” afirmou que Rose é “a última pessoa que merece ser vacinada”.