Seduc prorroga prazo para distribuição dos kits alimentação escolar

Repasses são feitos pela Secretaria de Educação e compra dos kits é de responsabilidade das escolas

Todos os alunos matriculados têm direito a um kit de alimentação escolar - Foto por: Seduc-MT

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) prorrogou o prazo de entrega dos kits alimentação escolar. A previsão inicial era que as 365 mil unidades do kit fossem entregues aos pais ou responsáveis pelos estudantes até esta sexta-feira (26.02).

Entretanto, problemas com documentação de algumas escolas e até mesmo com fornecedores acabaram atrasando as compras que são feitas pela direção de cada unidade.

O novo prazo para a entrega dos kits será definido individualmente, em acordo com as necessidades específicas de cada unidade escolar.




No início de fevereiro, a Seduc repassou duas parcelas para a compra dos kits alimentação para todas as escolas de Mato Grosso. A primeira parcela foi liberada no dia 8 de fevereiro, no valor de R$ 4.104.000,50. A segunda foi liberada no dia 11 de fevereiro, no valor total de R$ 6.936.913,00.

Regularização

Para a escola ter acesso ao recurso liberado pela Seduc ela precisava cadastrar no sistema da Seduc o Conselho Deliberativo da Comunidade (CDCE) e o número da conta corrente. Quando os repasses foram feitos, 300 escolas não tinham regularizado a situação. Hoje, todas possuem o CDCE.

Fornecedores

Os fornecedores de cada cidade são escolhidos por meio de pregão. Há situações em que os fornecedores não conseguiram entregar em tempo hábil os produtos, devido à grande demanda. Um exemplo aconteceu com o arroz. São dois pacotes em cada kit. Uma escola com 1 mil alunos, por exemplo, vai precisar de dois mil pacotes. Para todo Mato Grosso serão 730 mil pacotes de arroz.

Um kit por aluno

A Seduc reforça que todos os alunos matriculados têm direito a um kit de alimentação escolar. Famílias com três filhos matriculados, por exemplo, têm direito a três kits.

As equipes gestoras das escolas devem fazer o agendamento com os pais para a retirada dos alimentos, para evitar aglomeração.

Produtos

Os kits têm valor médio de R$ 100, valor 30% maior que no ano passado, e são montados com os seguintes itens:

– dois pacotes de 5 kg de arroz;

– um pacote de um 1 kg de feijão carioca;

– um litro de óleo de soja;

– 1 kg de sal;

– 1 kg de frango (podendo ser coxa, sobrecoxa ou peito);

– 1 kg de vegetal (podendo ser abobrinha verde, cenoura, chuchu, beterraba, maxixe, quiabo ou abóbora cabotiã;

– 1 kg de fruta (laranja, banana nanica ou banana maçã);

– 1 kg de tubérculo (podendo ser mandioca in natura, mandioca descascada, batata doce, bata inglesa, inhame ou cará).

Os tipos de vegetais, frutas e tubérculos variam de acordo com a disponibilidade contratada pela escola na chamada pública.