Seduc lança guia para auxiliar professores da Educação Infantil

Guia prático será encaminhado para creches estaduais, mas também será disponibilizado aos municípios por meio da Undime

Material foi elaborado pela Seduc para ajudar nos desafios do ensino remoto da Educação Infantil - Foto por: Divulgação

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), por meio da Coordenadoria de Ensino Fundamental, elaborou um manual orientativo que vai ajudar professores nos desafios da Educação Infantil em tempos de pandemia, com foco no ensino remoto.

O material foi disponibilizado para duas creches estaduais, localizadas em Cuiabá, e será encaminhado à União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), que por sua vez fará a distribuição aos municípios.

Autora e organizadora do guia, a assessora técnica pedagógica da Seduc, Jussana Valéria de Souza, disse que esse tipo de material já tinha sido elaborado para demais séries, mas não para a Educação Infantil. “Ainda não havia nada específico para essa etapa da aprendizagem, que precisa ser pensada de forma específica, direcionada para essas crianças”, disse.




O guia orientativo relembra que o momento é desafiador tanto para educadores quanto para pais e alunos, e que o contato com o professor, ainda que virtual, leva segurança e acolhimento aos estudantes, e vai motivá-los a fazer as atividades propostas.

Outro ponto abordado é que os educadores devem planejar as atividades de ensino conforme a necessidade das crianças, sempre questionando se elas têm condições de realizar as tarefas propostas no ambiente em que vivem. Para isso, o contato constante com a família é fundamental.

De maneira simples e didática, o guia orienta que os professores priorizem atividades lúdicas a fim de envolver os menores, para que não somente aprendam o conteúdo repassado, mas que guardem na memória a experiência vivida.

Metodologias e avaliações

O guia dá sugestões de metodologias de ensino. Sugere, por exemplo, que os professores gravem aulas priorizando histórias, músicas e brincadeiras, com interação com as crianças, e que realizem pelo menos uma aula ao vivo por semana. Além disso, pede que os docentes utilizem redes sociais de fácil acesso para aumentar a participação dos alunos.

O orientativo tem ainda planilhas de progressão e de registro de atividades, e exemplos de modelo de relatórios. Professores têm que registrar e avaliar o desenvolvimento e dificuldades dos alunos em planilhas, via observação e análise crítica e criativa, feedback dos pais e das crianças, garantia do espaço de escuta dos alunos e conselho semanal entre professor e coordenação.

Depois dessa avaliação, o educador deve dar início ao processo de intervenção pedagógica para ajudar a criança a avançar naquilo que está com dificuldades.

Mais informações sobre a cartilha podem ser obtidas pelo e-mail: ensino.fundamental@educacao.mt.gov.br ou pelo telefone (65) 3613-6414.