Secretários na Câmara- Lei do Cálculo Atuarial deve ser encaminhada pela prefeitura

Picture of Lucas Perrone

Lucas Perrone

Reunião da ordem do dia foi tranquila

Secretários na Câmara- Lei do Cálculo Atuarial deve ser encaminhada pela prefeitura

Compartilhe:

Não houve tensão; muito pelo contrário, a ida dos secretários de Finanças, Rodrigo Lopes, e de Gestão de Pessoas, Carla Carvalho, ocorreu em clima de tranquilidade. Os dois compareceram ao Poder Legislativo para responder a um requerimento do vereador Carlos Guinancio, o Subtenente Guinancio (PSDB), em razão da situação da Certidão de Regularidade Previdenciária (CRP) do município, que estava prestes a vencer na semana passada.

No entanto, a CRP foi renovada por seis meses. A secretária Carla Carvalho explicou que o município estava trabalhando para conseguir a liberação do documento, que foi feita dentro dos prazos e está dentro da legalidade.

O vereador Guinancio, por outro lado, lembrou que o município precisa resolver a questão do cálculo atuarial, que ainda apresenta problemas. Carla Carvalho disse que até a semana que vem a prefeitura deve enviar à Câmara uma lei que regulamenta o cálculo. Ela explicou que o projeto não foi enviado antes devido à necessidade de analisar os números apresentados pelo Instituto de Previdência do Servidor Público de Rondonópolis (Impro) e por uma empresa contratada pela prefeitura. “Temos que ver esses estudos antes de definir os índices”, disse.

Leia mais sobre o assunto: Tensão deve marcar a Ordem do Dia na Câmara de Vereadores

A vereadora Kalynka Meirelles (PL) aproveitou a oportunidade para cobrar da secretária o terceiro chamamento dos classificados no último concurso público da prefeitura. Carla explicou que esse chamamento ainda depende da abertura de novas turmas e da análise de pedidos de aprovados que não quiseram assumir as vagas.

O vereador Reginaldo dos Santos (PSB) lembrou que, em outras gestões, a situação dos repasses ao Impro não era diferente, com atrasos e parcelamentos. “O próprio Zé do Pátio pagou parcelamentos de outros prefeitos”, resumiu.

O presidente do Impro, Roberto Carlos Corrêa, destacou que a atual gestão teve atrasos e multas que recaem sobre o prefeito, tanto este ano quanto no passado, e cobrou agilidade na resolução do cálculo atuarial. “Essas multas vão para o CPF do prefeito”, disse.

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp