Secretária esclarece destinação de recurso para a Santa Casa de Rondonópolis

Assessoria

A secretária municipal de Saúde Izalba Diva de Albuquerque esclareceu em entrevista nesta quarta-feira (23) em referência à emenda parlamentar nº 7112001 que destina R$ 10 milhões em recurso federal para a Santa Casa de Rondonópolis.

Ao ser informado pelo sistema do Ministério da Saúde sobre a existência de emenda disponível, o município prontamente cadastrou afim de não perder o recurso indicado para o Fundo Municipal de Saúde, responsável por repassar o valor à instituição. A secretária ressaltou que o recurso ainda não foi consta na conta do Fundo.

“No dia 16 de outubro, o sistema do Ministério da Saúde abriu para que fizéssemos o cadastro de uma emenda parlamentar. Nós cadastramos o recurso que é destinado, conforme o e-mail, ao Fundo Municipal de Saúde e recebemos um ofício do Fundo Nacional de Saúde falando que a emenda estava cadastrada”, explicou a secretária.

Izalba explicou como funcionam os trâmites para a destinação de recurso a instituição. “Nenhum recurso vem direto para a Santa Casa, o recurso vem para o Fundo Municipal de Saúde, que passa pelo Conselho Municipal de Saúde e pela Câmara Municipal para depois ir para o hospital” esclareceu a secretária.

Ao ter conhecimento de um vídeo publicado nos veículos de comunicação e redes sociais que trata de um suposto desvio desta emenda, a secretária demonstrou indignação.

“Eu fico surpresa porque o dinheiro não entrou na conta do município, se o dinheiro é para a Santa Casa ele vai para a Santa Casa, do jeito que se fala, parece que o dinheiro entrou e demos outra destinação para ele. É dinheiro público, esse dinheiro não está na conta do município,” externou Izalba.

A secretária ainda informou para a população que o município está em dias com os repasses com a Santa Casa, inclusive, adiantando recursos à entidade demostrando a preocupação da gestão com o funcionamento do hospital.

“Importante dizer a população o seguinte, semana passada o prefeito adiantou dois meses de UTI para Santa Casa que ainda não recebeu do Estado por questões burocráticas, o município adiantou stents farmacológicos e incentivo das cirurgias do coração,” concluiu a secretária.