Seciteci oferece apoio ao trabalho desenvolvido pelo Instituto dos Cegos

Durante visita do secretário Nilton Borgato, a direção da instituição mostrou a necessidade de parcerias e doações para a manutenção do espaço.

Borgato destaca que inclusão tem que ser prioridade nas políticas públicas - Foto por: Soraya Medeiros

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), Nilton Borgato, visitou na segunda-feira (20), a sede do Instituto dos Cegos de Mato Grosso (Icemat) para conhecer o trabalho que é desenvolvido na instituição, ocasião em que recebeu as demandas de ajuda.

Para o presidente do Instituto dos Cegos, Udeilson Cézar de Arruda, essas visitas são fundamentais porque promovem conhecimento sobre a importância do trabalho que desenvolvem. “A Seciteci é uma grande parceira nossa, pois disponibilizou dois laboratórios de informática para melhorar a inclusão das pessoas com deficiências”.

Udeilson explica que hoje o instituto conta com 315 alunos matriculados e 2 mil associados. “A maioria dos alunos é deficiente total de visão, mas também há alunos com baixa visão (que possuem entre 5%, 10%, 20% ou cegos de um olho). Também existem alunos com deficiências múltiplas, que são os cadeirantes com problemas visuais, entre outros”.

Nilton Borgato parabenizou todos os funcionários do local pela missão e sensibilidade de trabalhar em prol da inclusão social. “O Instituto dos Cegos desempenha um trabalho de referência em todo Mato Grosso e precisamos contribuir com a manutenção da instituição”, afirmou.

Vivem no Brasil, de acordo com o Censo Demográfico do IBGE, mais de 6,5 milhões de deficientes visuais. A deficiência visual abrange várias condições oftalmológicas, entre elas a cegueira, que atinge pouco mais de meio milhão de brasileiros.

Em um relato emocionado, Juarez da Silva disse que está realizado e grato pelo atendimento recebido no Instituto. “Eu cheguei aqui com o meu coração partido em 200 pedaços e, agora, eu me sinto como se estivesse no paraíso. Aqui dentro nós não somos cegos, somos gente porque lá fora muitas pessoas não nos respeitam. Eu fui muito bem recebido e sou muito bem tratado. Além disso, fiz muitas amizades, todo mundo se dá bem”.

O secretário avalia que a inclusão é uma meta importante a alcançar, seja como cidadãos ou como gestor público, pois precisa se tornar realidade. “Dar acesso a uma vida de melhor, com qualidade no meio familiar, escolar, no lazer e assegurar condições de pleno exercício da cidadania para todos, sem discriminação, sem segregação e exclusões”.

História

O Instituto dos Cegos do Estado de Mato Grosso é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, que sobrevive com a ajuda da comunidade, tendo sido fundado em 1978. O órgão oferece em tempo integral cursos de alfabetização Braile, ensino do soroban, atividades do convívio diário, locomoção, informática, aulas de reforço para alunos da rede pública de ensino, educação física adaptada com aulas de goalball, futebol 5 e atletismo.

Para mais informações ligar no (65) 3646-1400, falar com Udeilson.