Rastro de destruição: Gramado, Canela e Bento Gonçalves voltam a ser castigadas pela chuva

Picture of R7

R7

Funcionários trabalham na liberação de estrada bloqueada em Canela - Divulgação/Prefeitura de Canela

Rastro de destruição: Gramado, Canela e Bento Gonçalves voltam a ser castigadas pela chuva

Municípios da Serra Gaúcha continuam em alerta; três cidades registraram tremores de terra nesta segunda-feira

Compartilhe:

A Serra Gaúcha, que abriga cidades turísticas do Rio Grande do Sul, como Gramado, Canela e Bento Gonçalves, voltou a registrar grandes volumes de chuva nas últimas horas. Em Caxias do Sul, principal município da região, moradores de mais de quatro bairros foram acordados durante a madrugada desta segunda-feira (13) por tremores de terra.

A Rede Sismográfica Brasileira detectou também abalos sísmicos em Bento Gonçalves e Pinto Bandeira.

Autoridades afirmaram que não houve problemas decorrentes do fenômeno, que é uma acomodação de camadas geológicas, possivelmente causado pelo excesso de chuva.

Segundo a MetSul, choveu entre 200 mm e 250 mm na região de Caxias do Sul entre sexta-feira (10) e domingo (12) — já havia chovido 450 mm na primeira semana de maio. A média para este mês é de 146 mm.

A procuradora-geral de Gramado, Mariana Melara Reis, reforçou, no fim da tarde de domingo, a orientação para que a população fique longe das áreas de risco.

“Começamos fazendo um apelo. As áreas de risco estão mapeadas e não são locais para visitação. Isto porque, em razão da quantidade de chuvas que vem ocorrendo, algumas edificações estão colapsando, isto significa, caindo. As pessoas não podem transitar nesse lugar, sob pena de se machucarem”, afirmou em um vídeo publicado no Facebook da prefeitura.

Cidade de Bento Gonçalves tem mapeamento de áreas de risco (DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE BENTO GONÇALVES – 11.05.2024)

Em Bento Gonçalves, integrantes do Núcleo de Riscos Geológicos identificaram mais de cem grandes pontos de deslizamentos de terra. O grupo está fazendo novas vistorias, nesta segunda-feira, com objetivo de detectar com exatidão os locais onde há mais risco.

Somente entre 27 de abril e 1º de maio, o município registrou 317 mm de chuva. A média de maio é de 108 mm.

A Prefeitura de Canela emitiu, no domingo, um alerta de deslizamento de terra, determinando que residentes em área de encosta saíssem de suas casas “imediatamente”, em meio à previsão de chuvas intensas e/ou contínuas. Uma casa desabou na cidade durante a madrugada. O morador e seus animais de estimação foram resgatados sem ferimentos.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp