Quatro em cada dez brasileiros não devem presentear no Dia dos Pais, diz SPC

Redação PH

Redação PH

Quatro em cada dez brasileiros não devem presentear no Dia dos Pais, diz SPC

Com a situação econômica ainda complicada, aproximadamente quatro em cada dez (38,1%) consumidores não pretendem comprar presentes para celebrar o Dia dos Pais neste ano.

Entre os principais motivos financeiros para não presentear estão a falta de dinheiro devido ao orçamento apertado (6,2%) e o desemprego (5%). As informações foram reveladas em sondagem feita pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

De acordo com os dados, na comparação com o ano passado, 35,4% pretendem gastar o mesmo valor com os presentes. Já 29,1% afirmam que pretendem gastar menos este ano. Segundo o levantamento, apenas 19,7% dos entrevistados planejam gastar mais com os presentes em 2016 do que no último ano.

Entre as pessoas que pretendem presentear (48,9%), o valor desembolsado com cada presente será de, em média, de R$ 115,37, quantia inferior à apurada para o mesmo período de 2015, de R$ 119,83.

Entre os consumidores da classe C, o valor médio total gasto com os presentes será ainda menor: R$ 107,95 contra R$ 150,54 das pessoas que pertencem às classes A e B.

A pesquisa aponta ainda que sete em cada dez pessoas (69,1%) têm a percepção de que os presentes estão mais caros do que em 2015. A maioria dos que pretendem presentear deve comprar apenas um presente (60,7%) para a comemoração.

Motivação

Entre os motivos para quem pretende gastar menos com o presente do Dia dos Pais, o principal é o desejo de economizar (23,6%). Em segundo lugar, aparece uma situação financeira ruim (20,8%). Também foi citado o aumento da inflação e economia estar instável (14,8%) e o fato de estar desempregado (11,5%).

Com a perspectiva de economizar na hora da compra, 68,1% dos entrevistados afirmam que realizarão pesquisas de preço antes de comprar o presente e 17,4% vão dividir as compras com outra pessoa, geralmente um irmão, a mãe ou familiar próximo.

O presidente da CNDL, Honório Pinheiro, avalia que com o fraco desempenho das outras datas comemorativas de 2016 até o momento, a expectativa dos lojistas com o Dia dos Pais tende a ser baixa.

— A piora da economia, como o aumento do desemprego e a inflação ainda elevada, além do crédito mais restrito, exercem forte impacto sobre o consumidor, que acaba sendo obrigado a limitar seus gastos para organizar as finanças. Para pagar contas atrasadas e honrar os compromissos financeiros, uma importante medida é evitar novos gastos e, nesses casos, presentear outras pessoas muitas vezes deixa de ser prioridade.

Ainda que evitar comprar presentes em datas comemorativas possa ser uma boa saída para economizar, para parte dos entrevistados, essa não será a escolha: 23,9% admitem que costumam gastar mais do que suas finanças permitem presentearem no Dia dos Pais, principalmente entre os mais jovens, quando o percentual aumenta para 29,9%.

+ Acessados

Veja Também