Prouni 2019.2: aprovados na segunda chamada devem comprovar informações até hoje

Não selecionados podem optar pela lista de espera

Os estudantes selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni), relativo ao segundo semestre de 2019, devem comprovar as informações fornecidas no ato da inscrição até hoje, 8.

Para isso, é importante que cada participante verifique junto à instituição a qual demonstrou interesse os horários e locais para realizar a comprovação. O processo acontece mediante a apresentação dos documentos que atestam a condição do estudante. No site do Prouni, está disponível a relação da documentação que deve ser apresentada.

Os não selecionados na segunda chamada ainda podem receber uma bolsa de estudo, demonstrando interesse na lista de espera do Prouni, nos dias 15 e 16 de julho, na página do processo seletivo disponível na internet. Em 18 de julho, a relação dos candidatos será disponibilizada para as Instituições de Ensino Superior realizarem as devidas consultas.

Os selecionados por meio da lista de espera também deverão comprovar as informações junto às IES, mas o procedimento acontece entre os dias 19 e 22 de julho. O edital (confira aqui) destaca que “é de exclusiva responsabilidade da IES divulgar a lista de espera do Prouni a todo o corpo discente, inclusive mediante afixação em locais de grande circulação de candidatos e em suas páginas eletrônicas na internet”.

Bolsas de estudo do Prouni

A quantidade de bolsas de estudo do Prouni 2019.2 foi anunciada pelo Governo Federal poucos dias antes da abertura do processo de inscrição. Houve a oferta de 169.226 oportunidades em instituições particulares de ensino no Brasil: 68.087 bolsas integrais, com 100% de desconto no valor da mensalidade; e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor.

A renda familiar per capita é que determina qual o perfil de bolsa de estudo que o candidato deve buscar. Além disso, todos devem ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, com nota maior do que 450 pontos nas provas objetivas e acima de zero na redação.

Outros requisitos incluem ainda ter cursado o ensino médio completo em escola pública – ou em instituição particular, desde que na condição de bolsista integral; ou ser portador de deficiência física; ou ainda ser professor da educação básica na rede pública.