Projeto-piloto de gestão compartilhada poderá ser implantado em escola de Rondonópolis

Projeto-piloto de gestão compartilhada poderá ser implantado em escola de Rondonópolis



Indicação apresentada pelo deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD)- Nininho, na sessão dessa quarta-feira (20), à secretária de Estado de Educação, Marioneide Angélica Kliemmaschewsk e ao comandante-geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, coronel PM Jonildo José de Assis, objetiva incorporar e resgatar no espaço escolar os princípios cívicos.

De acordo com o deputado Nininho, que viu o exemplo da implantação do projeto no Distrito Federal, inserir a gestão compartilhada nas escolas estaduais no Mato Grosso pode ser um divisor de águas.

“Esse projeto é muito interessante porque, além de elevar os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), insere as crianças e adolescentes envolvidas no processo de noções de civismo. O principal objetivo da gestão compartilhada é integrar a educação pedagógica e a disciplina. Toda escola tem sua importância, e o modelo militar pode contribuir para formação dos futuros adultos”, explicou o deputado.

Para o parlamentar, essa é uma ação que não vai onerar os cofres públicos. “O modelo adotado pelo Distrito Federal conta com a presença de 20 a 25 policiais militares que sejam da reserva ou que estejam com restrições médicas, porém aptos a cuidar de decisões disciplinares e administrativas”, ressaltou Nininho.

Conforme o projeto a ideia é começar a implantação em escolas estaduais que estão com notas abaixo do Ideb, ou seja, com os menores índices de avaliação e vulneráveis por diferentes motivos como é o caso das escolas em bairros afastados com alto número de criminalidade.

“Houve um tempo que cantar o Hino Nacional era algo muito comum nas escolas, a disciplina era aplicada segundo os princípios básicos, sempre priorizando o bom convívio com o próximo, o respeito pelos mais velhos e principalmente a hierarquia. Não estou condenando os modos utilizados hoje, mas acredito que criança gosta e espera por disciplina, e se não for agora, um dia alguém vai cobrar”, ratificou o parlamentar.