Projeto de aluno sobre aplicativo para análise meteorológica é contemplado com bolsa de iniciação científica

Hugo Luís é aluno do 2° ano do ensino médio da Escola Estadual Desembargador Milton Armando Pompeu de Barros, localizada no município de Colíder.

Hugo Luís é aluno da EE Milton Armando Pompeu de Barros, de Colíder. - Foto por: Divulgação

O projeto Tempo do Agro: Aplicativo de análise meteorológica para operações na lavoura, do aluno Hugo Luís Gomes de Souza, foi um dos finalistas da 17ª Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (MECTI), na categoria Economia Criativa, e foi contemplado com bolsa de Iniciação Científica Junior.

Hugo Luís é aluno do 2° ano do ensino médio da Escola Estadual Desembargador Milton Armando Pompeu de Barros, localizada no município de Colíder (a 634 quilômetros de Cuiabá).

A bolsa, ofertada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), terá duração de 12 meses.




Segundo a professora e orientadora, Linney Chrissie Konno Piton Pereira, o aluno sempre está engajado em projetos e olimpíadas escolares e a ideia do projeto em elaborar um aplicativo (app) para auxiliar o produtor no monitoramento do clima, foi uma proposta que partiu dele, ela só o orientou no processo de construção.

O estudante desenvolveu todo o app em linguagem de programação Java. A proposta foi criar um app com valor comercial acessível e prático que obtivesse dados climáticos por satélites, através de um smartphone com acesso à internet. A partir desses dados o produtor seria informado se as condições climáticas estariam adequadas para aplicação de defensivos ou para os preparativos da colheita, evitando o risco de incêndios, melhorando a produção, diminuindo os insumos, facilitando e viabilizando as tecnologias do campo.

“O objetivo do projeto foi fazer acontecer a revolução tecnológica 4.0 no agronegócio e atingir os pequenos produtores, levando a tecnologia para o campo com facilidade e menor custo, oportunizando com essas ferramentas o aprimoramento do agronegócio no nosso estado e nosso país”, explica a professora.

A professora lembra que o aluno ficou muito feliz em ter participado, principalmente pela oportunidade de ter trocado experiência com profissionais especializados na área do agronegócio, os quais contribuíram com ideias para aprimorar seu aplicativo. “Agora, o aluno Hugo terá uma caminhada com a Iniciação Científica Junior”, concluiu.