Projeto Arte na Escola oferece aulas de música em diversos pontos de Rondonópolis

Pixabay

Estudantes de sete a 14 anos que desejam aprender a tocar um instrumento musical podem se inscrever no projeto social Arte nas Escola que acontece em cinco espaços do município com lições no contraturno escolar. A oportunidade ocorre no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), no Jardim Ana Carla, na Vila Olímpica, na Obra Kolping da Vila Operária e no Centro Cultural José Sobrinho e a previsão é de que as aulas tenham início em 23 de março.

Devido ao sucesso e à alta procura, de acordo com Maria de Fátima Sartori, coordenadora do projeto e gerente do Centro Cultural José Sobrinho – onde o projeto começou –, foi preciso ampliar a oferta de vagas e diversificar os locais para o ensino dos instrumentos musicais. Violino, flauta, violão e viola são alguns dos instrumentos que os alunos poderão escolher para aprender a tirar um som a partir do conhecimento de notas musicais, compasso, cadência, timbre e tom transmitido durante os encontros.

“Várias crianças ganham um instrumento para tocar. No entanto, muitos pais, apesar de poderem comprar aos filhos esse presente, não têm condições de pagar as aulas. Então, com o Arte na Escola, o estudante pode realizar o desejo de aprender a tocá-lo”, assina-la Fátima.

Trabalhar a autoestima, a autoconfiança e a interpessoalidade, além de despertar a expressividade, exercitar a criatividade e, ainda, treinar o ritmo e aprimorar a audição são alguns dos benefícios gerados a partir do aprendizado de um instrumento, segundo a coordenadora do projeto.

“A música ajuda a criança a formar uma visão de mundo com mais sensibilidade, reforça sua cidadania, sua sociabilidade e contribui para que ela descubra algum talento. Além disso, o projeto oferece aos estudantes que dele participam uma ocupação para que tenham na arte uma atividade em que possam canalizar suas energias”, nota a gerente, lembrando que por meio de programas semelhantes como, por exemplo, o Pequenos Jovens, Grandes Talentos do Corpo de Bombeiros, alunos que integraram a banda e que, na época, se encontravam em situação de vulnerabilidade social, hoje são profissionais.

Interessados em participar do projeto devem procurar o bairro que lhes for mais adequado. Aqueles que optarem pelos polos do CEU, do Jardim Ana Carla ou da Vila Olímpica precisam, apenas, estar registrados no Cadastro Único, o que pode ser feito em um Centro de Referência da Assistência Social (Cras), sendo que no Ana Carla há vagas para alunos até 16 anos.

Os que preferirem se matricular no José Sobrinho ou na Vila Operária devem se dirigir à Obra Kolping, que fica na Avenida Emanuel Pinheiro 2.723, portando RG ou CPF do aluno e do responsável e, também, certidão de nascimento, atestado de matrícula na escola, número do NIS e foto 3X4 e comprovante de residência do estudante.