Presidente da CDL de Rondonópolis debate desburocratização e acesso a crédito a micro e pequenos empresários na Comissão Mista do Congresso Nacional

Senadores e deputados federais conduzem trabalhos; pauta do dia foi dificuldades dos setores econômicos em obter auxílio financeiro via programas do Governo Federal

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL), Thiago Sperança, participou hoje (7), da Audiência Pública online da Comissão Mista de Acompanhamento das Medidas de Combate à Covid-19 do Congresso Nacional, formada por senadores e deputados federais de todo o Brasil. O encontro virtual debateu as dificuldades de setores da economia, especialmente micro e pequenas empresas, em obter acesso a linhas de créditos e apoio financeiro ofertados em programas do Governo Federal.

A convite do senador mato-grossense, Wellington Fagundes (PR), o presidente da CDL expôs um dos principais desafios em nível de Brasil na liberação de recursos aos pequenos empresários: a burocracia. Para ele, é preciso, em caráter de urgência, simplificar os processos para a destinação eficaz dos auxílios. “Nossa luta hoje é pela desburocratização, é preciso repensar o modelo econômico, não somente neste momento de pandemia e acesso a crédito, mas, sim, uma mudança profunda em toda a estrutura engessada que norteia a economia do nosso país”, disse.

Sperança lembrou, ainda, que mais de 90% das empresas que movimentam a economia no Brasil, hoje, são enquadradas entre MEI, Micro e Pequenas. No quesito geração de emprego e renda, respondem a 62% de toda a folha salarial formal do país. “Se este dinheiro não chega na ponta, ninguém salva nossa economia. Estamos falando de empresários que hoje não conseguem se manter apenas com o fluxo de caixa atual, que estão tendo que demitir ou fechar as portas. Isso é grave. Depois da perda de vidas, é a segunda tragédia causada por esta pandemia. Se os recursos federais já estão disponíveis, o desafio, agora, é garantir que esteja nas mãos do empresariado, em tempo hábil e com processo mais agilizado. Este é o caminho para que não matemos ainda mais CNPJ no nosso país”.

A Audiência Pública foi transmitida ao vivo pela TV Senado e canais no Youtube, tanto do Legislativo Federal quanto do próprio senador Wellington Fagundes. De Rondonópolis, participaram, ainda, o vereador Fábio Cardozo, o presidente da Acir, Ernando Cabral, e a gerente do Sebrae, Érica Santos.

Também participaram do encontro o presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas dos Empreendedores Individuais, Ercílio Santinon; o presidente da Federação das Associações de Micro e Pequena Empresas e dos Empreendedores Individuais de Santa Catarina, Rosi Dedekind; o presidente da  Associação de Joinville e Região de Pequenas Micro e Média Empresas, Adael dos Santos; o presidente da Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito, Kerson Macedo; o consultor da Associação Brasileira das Organizações de Microcrédito e Finanças, Pedro Ananias Alves; o diretor-superintendente do Banco do Empreendedor, Luis Carlos Floriani; o presidente da SGC/Central – Representante das Sociedades de Garantia de Crédito do Brasil, Augusto Sperotto; o diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Sérgio Neves de Souza; o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles; o diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES, Bruno Laskowsky; o superintendente da Área de Operações e Canais Digitais do BNDES, Marcelo Porteiro Cardoso; o vice-presidente de Negócios e Varejo da Caixa Econômica Federal,Celso Leonardo Barbosa; o gerente geral de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, Neudson Peres de Freitas; e o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa.

A comissão, formada por seis deputados e seis senadores, foi criada com a aprovação do Decreto Legislativo 6/2020, que reconheceu o estado de calamidade no país até 31 de dezembro deste ano. A comissão acompanha a situação fiscal, o Orçamento e os gastos relacionados à emergência de saúde pública. É presidida pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO), tem como vice-presidente a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) e como relator o deputado Francisco Jr. (PSD-GO).