Presidente afasta envolvidos do Mixto, mas não isenta trio de arbitragem


Dois dias depois das cenas lamentáveis no estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis, na partida entre Mixto e União pela terceira rodada da Copa FMF 21, o presidente do Alvinegro Paulo César "Gatão" contou o que viu, e apesar de não compactuar com as atitudes do trio de arbitragem, vai afastar jogadores e o técnico do Tigre.

Gatão, que estava no estádio, relatou o que presenciou e não concorda com as atitudes de jogadores e trio de arbitragem.

– O nosso goleiro tentou afastar o bandeirinha, ele interpretou como se fosse um empurrão, e quando o nosso goleiro virou de costas ele socou a bandeira, ele agrediu o atleta do Mixto. Como já estava um tumulto generalizado, os demais atletas foram para cima dele. Quem viu a ação do bandeirinha reagiu com empurrão, com pontapé, isso também não é aceitável. Os jogadores do Mixto não deveriam fazer isso – reiterou o presidente.

O goleiro Lucas Viana, que empurrou o assistente, o lateral Nikita, que também foi expulso após o lance e também o técnico Evanildo dos Santos fizeram o registro na Polícia Civil de Chapada de Guimarães a pedido da diretoria mixtense.

– O boletim de ocorrência está registrado até para preservar a discussão do mérito. Nós fizemos com que os atletas que se sentiram lesados na agressão, que registrasse o BO, e que posteriormente fizessem o exame corpo delito para que futuramente possamos nos defender no tribunal de justiça.

Gancho

Os jogadores que causaram a briga serão punidos pela diretoria do Alvinegro. Segundo Paulo Cesár, o técnico Evanildo não comanda mais o time do gramado, mas deve colaborar com os treinamentos da equipe em Chapada dos Guimarães.

– Para ação do bandeira houve uma reação, mas não posso isentar nossos jogadores de terem feito essa prática. A diretoria vai afastar os envolvidos. A nossa parte está sendo feita. O goleiro Lucas, o lateral Nikita, e o técnico Evanildo que me parece ter participado também. A princípio, esses três serão afastados do time – afirmou.

O afastamento será por tempo determinado até o julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso (TJD-MT) – o tribunal ainda não se manisfestou sobre a data. Evanildo dos Santos, treinador da equipe, disparou contra o trio de arbitragem e negou ter tido qualquer envolvimento na briga.

– A arbitragem estava despreparada. Eles demostraram isso durante todo o jogo, marcando faltas inexistentes contra o Mixto, e ameaçando os nossos jogadores. Eu quero deixar claro que eu não agredi ninguém. Eu entrei no campo para tentar acalmar os ânimos.