Premiê do Japão promete seguir com Jogos, apesar do aumento do vírus

Yoshihide Suga enfrenta oposição pública à realização do evento

jogos olimpicos de toquio

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, prometeu nesta segunda-feira (18) seguir em frente com os preparativos para a realização das Olimpíadas de Tóquio, diante da crescente oposição pública, ao mesmo tempo em que o Japão enfrenta um aumento nas infecções pelo novo coronavírus (covid-19).

Suga encara maior escrutínio depois que Taro Kono, seu ministro administrativo e de reforma, disse à Reuters na semana passada que os Jogos podem não acontecer conforme planejado, tornando-se o primeiro membro do gabinete a expressar dúvidas sobre a realização do evento.

Os comentários de Kono intensificaram a pressão após pesquisas recentes da mídia mostrarem que cerca de 80% dos japoneses acreditam que as Olimpíadas, já adiadas por um ano devido à pandemia, deveriam ser adiadas novamente ou canceladas por completo.




“Continuaremos com os preparativos, com determinação para construir medidas contra as infecções e realizar um evento que pode trazer esperança e coragem para o mundo”, disse Suga em um discurso político no início de uma sessão parlamentar.

O Japão foi menos severamente atingido pela pandemia do que muitas outras economias avançadas, mas o aumento recente de casos o levou a fechar suas fronteiras para estrangeiros não residentes e declarar estado de emergência em Tóquio e nas principais cidades.

A popularidade de Suga despencou enquanto os críticos classificam o tratamento do governo para a pandemia como muito lento e inconsistente.

Os comentários desta segunda-feira (18) repetem a promessa do presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, de que as Olimpíadas de Tóquio serão uma “luz no fim do túnel” na luta contra a pandemia global.