Premiação de rodeio é doada à família de peão morto pisoteado por touro

premiação de rodeio é doada à família de peão morto pisoteado por touro

A premiação do rodeio disputada pelo peão Webert Cordeio, de 30 anos, que morreu após ser pisoteado por um touro no sábado (20), em Juara, distante 690 km de Cuiabá, foi doada para família da vítima. A doação foi feita pelos próprios peões que disputavam a premiação. Segundo a Associação dos Criadores do Vale do Arinos (Acrivale), que organiza o evento, a premiação do rodeio profissional é de R$ 20 mil.
Webert Cordeiro, mais conhecido como Curica, foi pisoteado no peito após cair do touro 'chamado' Chernobil, enquanto competia no rodeio. O animal, segundo a Federação Federação Mato-grossense de Rodeio, pesa aproximadamente 800 kg. Webert chegou a se levantar após cair e ser pisoteado.
A iniciativa da doação partiu dos 24 peões que disputavam a final do rodeio. Segundo a organização do evento, eles desistiram de montar e entraram de mãos dadas na arena com um laço preto, simbolizando o luto pela perda do amigo.
"Ele [Webert] era um peão competente e um amigo fiel. Sabemos que não podemos cobrir a tristeza que é perder alguém, mas fizemos isso para ajudar a família dele”, disse o peão Roni Passos. Na arena, os peões também fizeram uma oração em homenagem ao amigo.
No domingo (21), um touro foi solto na arena com um pano preto, homenageando o peão. O corpo de Webert foi enterrado nesta segunda-feira (22), em Água Boa, a 736 km de Cuiabá, onde morava com a família. Webert deixou esposa e dois filhos.
Entenda o caso
Um vídeo divulgado pela FMTRO mostra o momento do acidente. Nas imagens, Webert chega a caminhar, mas com dificuldade, após o acidente. Ele deu alguns passou e caiu.
Em seguida, as pessoas que estavam perto dele o seguraram e logo aparecem os profissionais da equipe médica.
Segundo Edivaldo Castilho, organizador do evento, Webert usava todos os equipamentos de segurança na hora do acidente. “É obrigatório o uso de colete e capacete. Ele [Webert] sempre seguiu todas as regras e era muito profissional. Era um dos melhores peões do estado e inclusive era muito premiado”, disse.
De acordo com a FRMTO, todos os peões que participam do rodeio têm direito a um seguro de vida em caso de acidente. Quando o seguro não é oferecido, os peões assinam um termo de segurança assumindo o risco das montarias. A família de Webert, segundo a federação, deve receber em média R$ 150 mil.