Policial é condenado após estuprar criança, filmar abuso e ser pego pelos próprios colegas

Policial estupra criança, filma e é condenado
Reprodução/Polícia de South Wales

O policial Dean Roberts, de 48 anos, foi condenado nesta semana a 16 anos de prisão após estuprar uma criança, filmar o abuso sexual, enviar o vídeo e acabar sendo descoberto pelos colegas policiais, que o identificaram durante uma operação contra pedofilia no País de Gales.

Roberts foi acusado após os policiais prenderem o advogado John Guess, que fazia parte de um grupo de pedófilos.

Ao olharem o celular dele, os agentes localizaram um vídeo explícito – gravado e enviado pelo policial. Nas imagens, ele aparecia abusando de uma criança – uma menina que não teve a idade especificada.

Segundo as investigações, os dois homens chegaram a trocar mensagens planejando abusar juntos de outras crianças e compartilharam registros de seus crimes. Roberts admitiu estupro, posse e distribuição de fotos e vídeos de crianças sendo abusadas.

Ao declarar a sentença, a juíza Eleri Rees considerou a idade da criança: “A vítima era particularmente vulnerável por conta da tão pouca idade. Ela estava indefesa e as imagens mostram que ela acordou em verdadeiro desconforto”.

Relembrando o momento que soube do abuso, a mãe da vítima declarou no tribunal: “Foi como ser atingida por um ônibus. Nós sempre teremos que viver com as consequências”.

O policial deverá ficar pelo menos 12 anos atrás das grades antes de tentar recorrer por liberdade. O advogado envolvido no caso acabou condenado a 26 anos de prisão também pelas mesmas acusações, além de ter filmado jovens em locais públicos, como supermercados e piscinas. Ambos se conheceram um chat online.