Polícia da Bahia faz operação contra facção que entrou em confronto com autoridades 68 vezes esse ano

R7

R7

Operação ocorre desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (3)- Divulgação/FICCO

Polícia da Bahia faz operação contra facção que entrou em confronto com autoridades 68 vezes esse ano

Equipes terrestres das polícias Militar, Civil e Federal atuam no Complexo do Nordeste com apoio de blindados e aeronaves

Equipes da Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado) da Bahia realizam, desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (3), a ‘Operação Resposta’ para cumprimento de mandados de busca e apreensão contra integrantes de uma organização criminosa que entraram em confronto com a polícia 68 vezes, apenas em 2023.

Segundo a polícia, a ação ocorre na região do Complexo do Nordeste de Amaralina. O objetivo é fechar o cerco contra essa organização, que tem envolvimento direto com a formação de “bondes”, grupo com cerca de 20 a 30 traficantes que se reúnem para atacar rivais.

A facção também seria responsável por comercializar entorpecentes, tráfico de armas e munições, além de estar envolvida em roubos a banco, corrupção de menores, entre outras ações ilícitas.

Fora as ordens judiciais, que totalizam seis mandados de busca e apreensão e dois
mandados de prisão, os policiais realizam levantamentos de denúncias e a ampliação do patrulhamento ostensivo no Complexo do Nordeste de Amaralina.

Equipes terrestres das polícias Militar, Civil e Federal, com apoio de blindados e, também, de aeronaves estão distribuídas nas localidades da Santa Cruz, Vale das Pedrinhas, Chapada do Rio Vermelho e Nordeste de Amaralina.

Participam da operação os grupos táticos: GPI/PF (Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal), BOPE/PM (Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar) e CORE/PC (Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil).

Equipes da Polícia Civil do Denarc (Departamento Estadual de Investigações sobre Entorpecentes), Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), Draco (Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), Depon (Departamento de Polícia Metropolitana); e da Polícia Militar, equipes da Patamo (Patrulha Tático Móvel), Choque, 40a CIPM, Rondesp “Atlântico”e Helicóptero do Graer.

+ Acessados

Veja Também