PJC: disputa judicial por dívida de imóvel alugado motivou crime

Picture of MidiaNews

MidiaNews

Inês Gemilaki, seu filho Bruno Gemilaki e o marido Márcio Ferreira - Reprodução

PJC: disputa judicial por dívida de imóvel alugado motivou crime

Caso ocorreu no domingo em Peixoto de Azevedo Caso ocorreu no domingo (21) em Peixoto de Azevedo; suspeitos são da mesma família

Compartilhe:

A motivação do duplo assassinato ocorrido na tarde de domingo (21), em Peixoto de Azevedo, foi uma disputa judicial envolvendo dívidas relativas a um imóvel que havia sido alugado, revelou a Polícia Civil.

Os autores do crime foram identificados como Inês Gemilaki, seu marido Márcio Ferreira Gonçalves e o filho da suspeita, o médico Bruno Gemilaki Dal Poz.

Os mortos foram Pilson Pereira da Silva, de 65 anos, Rui Luiz Bogo, de 57. Um padre, que não teve o nome divulgado, foi baleado. Eles seriam inocentes, afirmou a Polícia.

O alvo do trio, que não teve a identidade revelada, ficou somente ferido por estilhaços de vidro.  

Conforme a delegada Anna Paula Marien, Inês alugava uma residência do alvo, e, ao sair imóvel, teria deixado dívidas. Diante disso, o proprietário da casa entrou com processo na Justiça contra ela.

“A princípio, a nossa linha de investigação é no sentido de que havia um desacordo em relação ao imóvel que culminou com essa ação criminosa. A suspeita locava aquele imóvel do proprietário e ao sair da residência deixou algumas dívidas, o que gerou uma ação judicial”, dosse Anna Paula.

“E, a partir daí, houve várias discussões e desentendimentos entre eles, o que acabou resultando nesse crime bárbaro que aconteceu ontem à tarde, aqui em Peixoto”, completou.

Pouco antes do crime, ainda segundo a delegada, o trio teria ido até a delegacia do Município para registrar um boletim de ocorrência contra o dono do imóvel. Ela não deu detalhes sobre o objeto da denúncia.

Horas depois, Inês, Bruno e Márcio foram até a residência no Bairro Alvorada, onde estava o alvo e vários amigos e familiares reunidos. Nas câmeras de segurança, é possível ver que Inês portava um revólver, e entra na casa atirando nas vítimas.

Já Bruno, que ficou na calçada, estava com uma espingarda, e pareceu dar vários tiros de longe e também para o alto. Não é possível ver Márcio nas imagens divulgadas até o momento, mas a Polícia confirmou a participação dele nos homicídios.

Após o crime, os três fugiram em uma Ford Ranger branca. No caminho, eles floram flagrados, também por uma câmera de monitoramento, em uma conveniência no Município de Matupá, onde compraram bebidas alcoólicas, refrigerante e água.

Conforme a Polícia, o trio teria como destino o Estado do Pará. Eles ainda não foram localizados.

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp