Piso salarial do fisioterapeuta pode subir para mais de R$ 4 mil

Mike Alves

Mike Alves

Freepik

Piso salarial do fisioterapeuta pode subir para mais de R$ 4 mil

Profissionais que atuam na recuperação de movimentos e prevenção de lesões podem passar a ganhar mais caso projeto de lei seja aprovado pelo Senado

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 1731/2021 que estabelece o piso salarial dos profissionais de fisioterapia e terapia ocupacional, com valor previsto para R$ 4,8 mil. A proposta é do Senado, onde já foi aprovada, e na Câmara já passou por aprovação da Comissão de Saúde e aguarda apreciação na Comissão de Trabalho.

No texto publicado no site do Senado Federal, há ainda uma explicação sobre a importância dos fisioterapeutas na área da saúde. Esses profissionais atuam em restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do paciente e, de acordo com o órgão, se tornam indispensáveis no país.

Os interessados pela profissão encontram diferentes universidades e cursos de Fisioterapia em São Paulo e demais regiões do país. Além disso, o mercado de trabalho para esses profissionais é bem vasto, com diversas especializações e opções de atuação.

O que faz um fisioterapeuta?

O fisioterapeuta é o profissional responsável pela recuperação dos movimentos corporais. Essa recuperação acontece por meio de exercícios físicos e uma técnica específica de massagem

O trabalho desses profissionais se inicia com um atendimento para que seja feito o diagnóstico do paciente. Durante esse processo, o fisioterapeuta analisa e interpreta exames médicos para ter uma visão detalhada da saúde do paciente, a fim de identificar a presença de uma possível lesão.

Além de uma análise dos exames, o profissional acompanha os movimentos do paciente para entender se ele tem alguma dificuldade motora ou se sente dor. A partir do diagnóstico, ele também é o responsável por prescrever o tratamento, que varia de acordo com a condição da pessoa e da lesão.

Geralmente, entre os principais meios de tratamento terapêutico estão massagens, exercícios físicos, terapia a base de frio e calor e exercícios na água. Durante todo o processo, o profissional fica em contato com o paciente e faz novas avaliações para identificar ou não a melhora do quadro geral de saúde.

Vale lembrar que somente profissionais formados em cursos superiores de Fisioterapia reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC) e registrados no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito) podem prescrever sessões de fisioterapia e atuar na área. A profissão é regulamentada desde 1969.

Além da formação, quem deseja atuar na área também precisa ter habilidades comunicativas, ser paciente, empático e ter atenção aos detalhes.

Mercado de trabalho amplo com diversas carreiras

O mercado de trabalho para quem deseja atuar como fisioterapeuta é vasto e o profissional pode seguir diferentes tipos de carreira, buscando pelas mais variadas especializações. A gameterapia, por exemplo, é uma área da fisioterapia que consiste na aplicação de jogos eletrônicos aos pacientes com problemas ósseos e neurológicos, visando o estímulo cerebral.

Há também a dermatofuncional. Nessa carreira, o fisioterapeuta atua tratando lesões como cortes de cirurgia, queimaduras e outras, utilizando aparelhos a laser, ultravioletas ou infravermelhos. O objetivo é trazer conforto aos pacientes.

Tendo como foco o ambiente de trabalho, a fisioterapia do trabalho é a carreira que foca nos pacientes que sofrem lesões de esforço repetitivo (LER), causados por má postura ou repetição de movimentos no dia a dia de suas atividades profissionais.

Certamente uma das áreas mais conhecidas, a fisioterapia esportiva é a que lida diretamente com atletas de diferentes esportes. Os profissionais dessa carreira atuam em centros esportivos e até mesmo em clubes de times, com foco na prevenção e no tratamento de lesões.

Há, também, aqueles que atuam na área da estética. Esses profissionais trabalham com foco em saúde, bem-estar, conforto e estética dos pacientes. É comum, por exemplo, encontrar fisioterapeutas responsáveis por drenagem linfática em São Paulo em spas, salões e centros de estética.

Além dessas carreiras, os interessados por fisioterapia também encontram outras opções. Há aquelas cujo foco é ajudar gestantes, outras atuam com pacientes com limitação de movimentos e pessoas com síndrome de Down. Traumatologia, terapia intensiva e cardiologia também são áreas que podem ser escolhidas por profissionais da fisioterapia.

Cada área pode necessitar de especializações específicas. Muitos fisioterapeutas apostam, inclusive, em cursos para adquirir mais conhecimento e certificações na área.

Por ser uma profissão com vasta possibilidade de atuação, um profissional nessa carreira pode atuar em diferentes lugares. Hospitais, clínicas, consultórios, ambulatórios, centros de reabilitação, home care (casa do paciente), órgãos de saúde pública, indústrias e clubes esportivos são alguns espaços que podem receber um fisioterapeuta para trabalhar.

Quanto ganha, atualmente, um fisioterapeuta?

Existem muitas áreas na fisioterapia e, por esse motivo, os valores das remunerações podem variar de acordo com o ramo de atuação. Em média, conforme o portal Salário.com.br, o salário de um fisioterapeuta é R$ 2.980,19.

As informações são resultados de uma pesquisa do site junto a dados oficiais do Novo Caged, eSocial e Empregador Web, com um total de 28.339 salários de profissionais admitidos e desligados pelas empresas no período de setembro de 2022 a setembro de 2023.

Caso o piso salarial que tramita pelo Senado seja aprovado, os profissionais de carga horária máxima de 30 horas semanais podem passar a receber R$ 4,8 mil.

+ Acessados

Veja Também