Pesquisa domiciliar sobre coronavírus será realizada a partir desta quinta-feira em Mato Grosso

Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Ilustrativa

O Ministério da Saúde comunicou a Secretaria de Estado de Saúde sobre a 2ª fase da pesquisa “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional”, que será realizada em todo o país. Em Mato Grosso a pesquisa será feita nos municípios de Cuiabá, Cáceres, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis.

A SES-MT já encaminhou as orientações do Governo Federal ao Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems-MT) e aos Escritórios Regionais de Saúde para a devida comunicação aos municípios.

De acordo com o ofícil circular encaminhado pela Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde (Saps), o Ministério apoia financeiramente esta ação. Os resultados da pesquisa serão utilizados para auxiliar na definição de estratégias para diminuir a disseminação do novo coronavírus e na estimativa de recursos hospitalares necessários ao enfrentamento da pandemia.

O objetivo da comunicação feita pelo Ministério, é articular com as Coordenações Estaduais de Atenção Primária, as Superintendências Estaduais do Ministério e com os municípios,a viabilização da pesquisa, primando pela aceitação da população e pela segurança dos entrevistadores.

“Nesse sentido, é importante reforçar a necessidade de ampla divulgação nas 133 cidades [do Brasil] da pesquisa, informando sobre a relevância do estudo e combatendo a circulação de notícias falsas”, ressalta o ofício circular do Ministério da Saúde.

Representantes do Ministério da Saúde, da UFPel e do Ibope fizeram uma análise da atuação da equipe de entrevistadores durante a coleta de dados da primeira fase. Com isso, para as próximas etapas, foi reforçada a necessidade de adequar a abordagem dos entrevistadores com os munícipes, atentar às recomendações sobre o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), o armazenamento e o descarte dos insumos utilizados.

Segundo a metodologia da pesquisa, serão realizados três inquéritos transversais repetidos, de base populacional, com amostragem em municípios sentinela. Em cada estado, foram escolhidos os maiores municípios sede de cada sub-região intermediária, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A primeira fase da coleta aconteceu no período de 14 a 21 de maio.

Segunda fase

A segunda fase será feita nos dias 4, 5 e 6 de junho. Como na primeira etapa, será aplicado um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas da Covid-19 nos últimos 30 dias e a realização de um teste sanguíneo rápido por punção digital.

Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional serão informados sobre os objetivos do estudo, riscos e vantagens. Se houver qualquer desconforto, o participante poderá desistir a qualquer momento. O material e as informações somente serão coletados após a assinatura do termo de consentimento livre e informados. As pessoas testadas em campo terão um número de telefone celular registrado para que possam receber informação sobre o resultado do teste. Os casos positivos serão informados às Secretarias Municipais, Estaduais e à Secretaria de Saúde do Distrito Federal para providências necessárias.

Para mais informações, a SES orienta contato com a assessoria técnica do Departamento de Saúde da Família do Ministério da Saúde pelo telefone (61) 3315-9044 ou por e-mail desf@saude.gov.br. O contato também pode ser feito com a coordenação da pesquisa em campo, pelos telefones (11) 3069-9502, 3335-8610, 3315-8583, 3315-8606, 3315.8610, bem como pelo 0800.8005000, ou  via e-mails pesquisa.covid-19@ibopeinteligencia.com  e pesquisa.covid-19@ufpel.edu.br.