Pedreiro desempregado reforma casa de criança paraplégica que já teve alta e continua internada em MT

Pedreiro desempregado reforma casa de criança paraplégica que já teve alta e continua internada em MT
Parte da reforma consiste na trocando do telhado da casa da família de Izabelly — Foto: José Rodrigues da Silva Filho/ Arquivo pessoal



O mestre de obras José Rodrigues da Silva Filho, de 47 anos, está reformando a casa de uma criança de 10 anos, que é paraplégica, para que ela possa continuar o tratamento de saúde em casa. Izabelly Costa Chastel Francischini recebeu alta, mas continua internada.

Ela não pôde voltar para casa ainda porque o imóvel, no Bairro São João em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, não tem estrutura necessária para a instalação dos equipamentos de home care.

José ficou comovido com o drama vivido por Izabelly e pela família dela e resolveu fazer uma boa ação. A menina foi diagnosticada com diabetes aos 7 anos e, no ano passado, sofreu uma parada respiratória, perdeu a fala e teve paralisia do pescoço para baixo.

Izabelly Costa Chastel Francischini está internada no Pronto Socorro de Várzea Grande — Foto: TVCA/ Reprodução

Izabelly Costa Chastel Francischini está internada no Pronto Socorro de Várzea Grande — Foto: TVCA/ Reprodução

Ela está internada no Pronto Socorro de Várzea Grande há sete meses e recebeu alta em dezembro de 2018, mas não teve condições de deixar a unidade.

José contou que viu uma reportagem sobre a criança e quis fazer algo.

”Fico sensibilizado com as situações das pessoas e tento ajudar como eu posso. Sou uma pessoa humilde, empreendedor e ganho a vida assim, mas no momento estou desempregado e aproveitei o tempo disponível para ajudar essas pessoas que precisam de uma ajudinha”, disse.

Ele entrou em contato com a mãe da criança, foi até a residência da família e ofereceu a mão de obra para reformar a casa, com as adaptações exigidas.

A reforma teve início na sexta-feira (22) e deve ser concluída em duas semanas. José Rodrigo trabalha o dia inteiro, com a ajuda de um assistente. Ele paga a metade da diária do ajudante e a outra metade foi disposta como doação.

Casa não tem estrutura para instalação de equipamentos — Foto: José Rodrigues da Silva Filho/ Arquivo pessoal

Casa não tem estrutura para instalação de equipamentos — Foto: José Rodrigues da Silva Filho/ Arquivo pessoal

A mãe de Izabelly, Cleia Silva da Costa, disse que está ansiosa e contente porque a filha vai retornar para casa.

”Estou muito feliz, porque vou poder cuidar da minha filha em casa e ela poderá estar junto com os irmãos. Sou muito agradecida. Não vejo a hora de tudo estar pronto”, relatou.

Conforme Cleia, a casa precisa de adaptações para atender as exigências para o serviço de home care, como um quarto exclusivo, com ar-condicionado, forro no teto, banheiro adaptado.

Os materiais de construção usados na reforma foram doados por voluntários, que souberam da situação de Izabelly, por meio de uma enfermeira que foi até a casa e constatou que o local não teria a condição necessária para acomodar a criança.

A casa está passando por uma reforma geral. O telhado está sendo trocado, um novo banheiro exclusivo para a paciente está sendo construído e a fiação elétrica, trocada.

José mora em Cuiabá e trabalha há 27 anos como pedreiro. Tem 14 anos que aproveita o ofício para ajudar pessoas carentes. Ele contou que, entre construção e reforma, já mudou a vida de 14 famílias.