Parceiro de verdade! No Sicredi, dono de Padaria em Rondonópolis encontrou relacionamento e o apoio que precisava para atingir dois objetivos: melhorar a performance e ter economia

Antonioni Rabelo se associou à cooperativa em busca de proximidade com a instituição financeira e conseguiu mais que isso; encontrou quem acredita no negócio dele.

“A gente não acredita que seja verdade até que aconteça”. A afirmação é do empresário Antonioni Goulart Rabelo, de 41 anos, proprietário da panificadora Pão Doce Pão, de Rondonópolis, ao se referir ao relacionamento simples, próximo e ativo do Sicredi e ao direito de participar das decisões da cooperativa sobre o futuro. Associado há cinco anos da Sicredi Sul MT, cooperativa que este ano comemora 30 anos de atuação, a mudança de instituição financeira ocorreu quando ele buscava um relacionamento mais próximo, menos formal, e teve a oportunidade de conhecer o Sicredi, instituição que tem 118 anos de história no Brasil.

A panificadora é uma herança dos pais, que vieram de Ituiutaba (MG) para Mato Grosso na década de 70, quando Antonioni tinha apenas seis meses de vida. Foi fundada em 1977 e desde 1986 está no mesmo endereço, na avenida Ponce de Arruda, n° 2.495, no bairro Caixa d’água, Centro B. No fim do ano de 1990, os pais repassaram a administração do negócio ao filho, quando ele começou a rever algumas relações, entre elas as que mantinha com instituições financeiras.

Conheceu o Sicredi por meio de um amigo que trabalhava na cooperativa e ofereceu uma conta jurídica. “Eu estava descontente com o banco com o qual eu trabalhava, buscava um relacionamento mais próximo, mais atencioso. Resolvi experimentar, gostei, mudei e pretendo continuar associado do Sicredi por muitos anos”, afirma ele.




A decisão de Antonioni é consequência da experiência positiva que a empresa teve com o cooperativismo de crédito. Por ser uma indústria de produção de pães e bolos, a despesa com energia elétrica é alta e chegava a R$ 10 mil mensais, um custo fixo pesado na planilha. E justamente por ser uma atividade com custos elevados, ele explica que os empresários sempre buscam novas tecnologias e equipamentos que possam trazer mais eficiência ao negócio e economia.

Foi quando pensou em investir na produção própria de energia, com sistema de geração fotovoltaica. Esse investimento atenderia dois objetivos que a empresa almejava: melhorar a performance e reduzir o consumo de energia. Fez o projeto e o apresentou ao gerente. O investimento era viável e foi aprovado. Para se ter uma ideia da importância desse tipo de apoio, essa linha de crédito é uma das oferecidas pelo Sicredi  e nos últimos anos, em  parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae MT), desenvolve o Programa Energia Verde, que tem o objetivo de estimular a produção de energia a partir dessa matriz energética pelas micro e pequenas empresas. O Sebrae é responsável pela consultoria e viabilidade do projeto e o Sicredi financia a implantação do sistema nos empreendimentos associados às cooperativas que aderiram ao programa.

O investimento foi feito no ano passado, em três etapas. A primeira com 84 painéis solares, a segunda com 74 e a terceira com 64, instalados na cobertura de um prédio da família. Uma parte do aporte foi feita com recursos próprios e a outra com apoio do Sicredi. O resultado foi uma economia de 95% na conta de energia. O valor investido será recuperado em três anos, sendo que todo o sistema tem vida útil de pelo menos 25 anos. Será uma boa economia financeira, além de contribuir com a geração limpa de energia, que torna o empreendimento mais sustentável.

Na opinião de Antonioni, se não fosse a parceria com o Sicredi esse investimento não seria realizado. E é justamente pela relação próxima que mantém com a cooperativa que ele acredita que tenha conseguido. “Eu participo da vida da cooperativa. Tenho poder de voto e auxilio a diretoria a tomar as decisões, assim como os outros associados. Quem diria que isso seria possível? Se eu quiser posso até compor a diretoria. É uma instituição financeira que, de verdade, participa da vida da comunidade e ajuda no desenvolvimento da sua região. Só acreditei nisso quando comecei a participar disso”, comenta o empresário.

Com 34 anos de atuação em Rondonópolis, um pouco mais que a Sicredi Sul MT, a Pão Doce Pão é famosa em todo o Estado, principalmente pela receita do croissant, que é feito de uma forma diferente. Tem gente vai até a cidade só pra provar essa delícia. A padaria tem 380 metros de área construída e emprega 11 pessoas.

Histórias construídas com associados como Antonioni dão orgulho ao Sicredi e provam que a missão da instituição financeira cooperativa, de melhorar a qualidade de vida das pessoas e promover o desenvolvimento dos negócios, segue sendo cumprida em centenas de municípios de Mato Grosso e do Brasil.