Padre é investigado pela polícia por suspeita de importunação sexual a mulheres em MT

Pixabay



A Polícia Civil abriu inquérito para apurar denúncias contra um padre que atua em Carlinda, a 724 km de Cuiabá. O padre é suspeito de importunação sexual.

A investigação começou depois que duas mulheres procuraram a polícia para denunciar que tinham sido vítimas do padre.

O delegado Pablo Carneiro já ouviu as duas vítimas e está analisando imagens recebidas, que teriam sido apresentadas como provas do crime.

O caso continua sendo investigado e o suspeito deve ser intimado a prestar depoimento no decorrer do inquérito.

Importunação sexual é crime

A lei de importunação sexual entrou em vigor em setembro de 2018 e caracteriza como crime de importunação sexual a realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem seu consentimento, como toques inapropriados ou beijos “roubados”, por exemplo.

A importunação sexual difere do assédio sexual, que se baseia em uma relação de hierarquia e subordinação entre a vítima e o agressor.

Quem pratica casos enquadrados como importunação sexual poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.