Orientações técnicas da Empaer-MT auxiliam na produção de 20 toneladas de melancia

A colheita já começou e por semana são comercializados em média 1,2 mil quilos

O produtor Ivan foi o primeiro a realizar essa experiência com o plantio de 1.095 covas - Foto por: Extensionista/Empaer-MT

No Assentamento Rural Usiel Pereira, no município de Nova Olímpia (207 km a Médio-Norte de Cuiabá), produtores recebem orientações técnicas da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e parceiros sobre o cultivo da melancia. O evento foi realizado no sítio do produtor rural Ivan Quintino Pereira, que plantou a fruta numa área de oito mil metros quadrados e espera colher 20 toneladas. A colheita já começou na propriedade e por semana são comercializados em média 1.200 quilos.

O secretário municipal de Agricultura, Jaime Sganzerla, conta que orientou alguns produtores sobre o cultivo da melancia, com o objetivo de atender a demanda do município. Ivan foi o primeiro a realizar essa experiência com o plantio de 1.095 covas. Ele recebeu todas as orientações, desde o preparo do solo até à comercialização.

“Está colhendo melancia com o peso médio de 13 quilos e vendendo toda a produção para a Cooperativa Regional de Produção Agropecuária da Agricultura Familiar (Coopraf), por R$ 0,95, o quilo”, enfatiza o secretário.

De acordo com Sganzerla, esse é um projeto piloto que está dando resultado devido a parceria com a Empaer. Numa área de quatro hectares, a intenção do produtor é produzir também banana, abacaxi e café. Ivan comenta que esse primeiro plantio serviu para aprender e analisar quais mudanças seriam necessárias nos próximos plantios para atingir uma boa produtividade.

“Estou bastante satisfeito e ainda mais empolgado para os novos plantios e já pensando em diversificar as culturas”, esclarece.

A técnica em Agropecuária da Empaer, Kathiuscia de Arruda Medeiros Chieron, fala que o produtor e sua família receberam todas as informações técnicas para o plantio da melancia e que foi utilizada a variedade Colt. Ela explica que a comercialização é feita na propriedade, ou seja, a cooperativa retira o produto na lavoura.

“Com orientação técnica, o produtor pode produzir, diversificar e garantir renda e lucro para a família”, explica Kathiuscia.

O representante da cooperativa, Valdir Alves da Silva, participou das orientações técnicas e aponta que um dos gargalos  que o produtor enfrenta é a comercialização. Ele garantiu a justa negociação na compra do produto e elogiou a qualidade da melancia do sítio.