OMS: 90% dos acidentes na rodovia são provocados por fator humano

presos filmam tortura a rival dentro de penitenciária



Um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que 90% dos acidentes de trânsito são provocados pelo fator humano. Segundo o Relatório Mundial sobre Prevenção de Lesões Causadas pelo Trânsito, apenas 6% das ocorrências são atribuídas a condições inadequadas das vias e 4% a falhas mecânicas.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, especialistas apontam os principais comportamentos de risco dos motoristas em rodovias. Excesso de velocidade, desatenção ao volante, ingestão de álcool e sonolência são os mais citados.

Para o inspetor Maciel Junior, chefe do Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo, o motorista pode contribuir muito para a redução do índice de acidentes, e até mesmo de atropelamentos nas rodovias, ao baixar a velocidade.

O policial ressalta, no entanto, que a maioria dos atropelamentos ocorre mesmo por imprudência dos pedestres. “Para economizar 100 metros, o pedestre não acessa uma passarela ou uma ponte e atravessa a rodovia pela via. O ser humano não tem a capacidade de calcular o deslocamento do veículo em uma rodovia de velocidade alta. Se ele faz o cálculo errado para atravessar, quando percebe, já está no meio da rodovia”.

Outro fator citado por Maciel de causa de acidentes são os celulares. O inspetor afirma que falar ao telefone celular já virou um problema secundário nas rodovias do estado. Agora, o que mais tem preocupado as autoridades é a digitação de textos. “Os aplicativos de mensagens, como o Whatsapp, o Messenger e o Facebook estão fazendo os motoristas perderem o foco, que é a condução”, disse.

Se no trânsito urbano a utilização do celular já traz riscos ao motorista, na estrada, o perigo é muito maior, alerta o diretor-presidente do Diretório Nacional de Segurança Viária, José Aurélio Ramalho. “Quando você está on no celular, você está off no trânsito. O seu raciocínio é todo convertido para sua conversa. Quando você vai para a rodovia, isso potencializa ainda mais. Em alta velocidade, qualquer reação abrupta que você tenha pode causar uma fatalidade”.

Em São Paulo, o número de acidentes assusta. Na Rodovia Presidente Dutra, no trecho de Guarulhos, houve 27 vítimas fatais em 2012, 38 em 2013 e 29 em 2014. O total de feridos graves na rodovia chega a 192, mais de um por semana.

Procurada pela Rádio Bandeirantes, a Nova Dutra, concessionária da rodovia, manifestou-se por meio de uma nota, alegando que a maioria dos acidentes ocorre por desatenção do motorista, aliada ao grande número de tráfego na região.

Consultor em engenharia de transporte de pessoas, o professor Horácio Augusto Figueira, também ressalta sobre a falta de atenção nas estradas, ainda que por poucos segundos, pode ser fatal. O especialista cita o caso de um motorista que olha para trás para, por exemplo, para conferir se a criança está bem. “Se você estiver a 108 km/h, você percorre 30 m/s. Ao olhar para trás por três ou quatro segundos, você percorreu mais ou menos 150 metros [sem olhar para a direção]”, afirmou.

Há ainda o problema da sonolência. O pedreiro Edinilson Pereira Cruz relatou o acidente que sofreu quando andava pela Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, perto de Mongaguá, às 4h. “Por três vezes eu pisquei. Na quarta, eu não pisquei. Eu dormi e desci o barranco”, relatou.