Odebrecht substitui Dnit em 282 km de obras em rodovia federal de MT

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado

A Rota do Oeste, empresa da Odebrecht TransPort, confirmou nesta quarta-feira (26) que deverá assumir a partir da próxima semana obras de recuperação, conservação e duplicação em 282 km da rodovia federal BR-163, substituindo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A substituição já era aguardada desde julho, mas foi determinada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e confirmada nesta quarta-feira pela superintendência regional do Dnit em Mato Grosso.

Concessionária de trechos da BR-163, a Rota do Oeste emitiu nota no final da tarde desta quarta-feira informando que recebeu notificação da ANTT a respeito da decisão de designar a empresa para dar continuidade aos trabalhos do Dnit. A superintendência do órgão federal, por sua vez, confirmou a informação afirmando que a mudança foi medida tomada em concordância entre o Dnit, a ANTT, a empresa e o Ministério dos Transportes. A alteração deverá ser publicada em breve em portaria no Diário Oficial da União.

De acordo com o superintendente regional do Dnit, Orlando Fanaia, a partir da publicação da portaria o departamento deverá repassar imediatamente à Rota do Oeste a responsabilidade sobre o trecho de 108 km entre Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, e o município de Rosário Oeste, a 133 km da capital. No trecho, a Rota do Oeste dará continuidade às intervenções para conservação da pista e às obras de duplicação.

Posteriormente, segundo o Dnit, deverão ser repassados à responsabilidade da empresa os demais trechos de obras de conservação na BR-163, como entre Cuiabá e Rondonópolis, abrangendo outros 174 km de rodovia.

A concessionária Rota do Oeste já é detentora de 850,9 km de extensão da BR-163 em Mato Grosso, entreItiquira, na divisa com Mato Grosso do Sul, e Sinop, na região norte do estado. A empresa já vem realizando obras de duplicação em parte da via e, conforme o contrato assinado com o governo federal, está autorizada a cobrar pedágio em todo o traçado concedido porque já cumpriu 10% dessas obras.

Agora, entretanto, a empresa afirmou por meio de nota que só deverá cobrar pedágio no segmento da estrada que abrange o município de Jangada (a 82 km de Cuiabá) após ter eliminado a totalidade dos buracos no trecho.

A empresa também anunciou o início imediato de uma força-tarefa para recuperação dos trechos mais críticos – o qual, afirma a nota da concessionária, detém índice de acidentes 127% maior que a média dos demais trechos da BR-163 onde a empresa já atua.

As mortes no trecho em que a Rota do Oeste agora substitui o Dnit representam 21% do total de mortes que vêm sendo registradas em acidentes na BR-163 desde setembro de 2014, afirmou a nota, que também avisa sobre a posterior necessidade de um reajuste tarifário para reequilibrar financeiramente o contrato de concessão.

O cronograma de intervenções da Rota do Oeste nos trechos ainda deverá ser divulgado pela ANTT.