O significado da reconstrução da mama para as mulheres que passaram por mastectomia

Sol pode comprometer resultado de uma cirurgia plástica

O câncer de mama é segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Em alguns casos é necessária a retirada total da mama (mastectomia) em outros só  a parcial, mas de alguma forma o psicológico da mulher é abalada pela mutilação que sofre vendo ser retirada um pedaço da sua feminilidade.

Uma opção após a alta é a reconstrução da mama. Mais que uma cirurgia é uma ‘injeção’ para de ânimo para as mulheres que lutaram contra essa doença com sessões de quimioterapia e radioterapia. A reconstrução da mama com implante ou não de silicone ajuda e muito na autoestima.

A cirurgia é como qualquer outra. Exige indicação do médico e completa avaliação do risco cirúrgico.

Tanto é usado para preencher a mama a técnica de retalhos retirado da região abdominal ou dorsal (costas), é levado ao local a ser operado. O retalho é um tecido retirado de uma região do corpo e transferido a outra.

Entre 3 e 6 meses depois da reconstrução, a paciente pode passar  por uma cirurgia complementar e se preciso opera a outra mama para deixar as duas simétricas.

Algumas mulheres podem ter que reconstruir o bico e auréola do peito. Nesses casos tanto podem se usar a técnica da tatuagem como pode ser feito com enxertos de pele e mucosas próprios da paciente. O médico discute com a paciente qual será a melhor opção.

Essas cirurgias em média duram 3 horas e o pós-operatório deve ser seguido com repouso, uso de antibióticos e anti-inflamatórios.

É importante a paciente saber que a sensibilidade da mama não volta ao normal após a reconstrução mamária, ainda que possa melhorar com o tempo. A cicatrização é um processo lento, que costuma deixar marcas, ainda que discretas.

Em caso de implantes de silicone é necessária a realização de exames de acompanhamento periódicos.

Qualquer alteração na mama reconstruída deve ser informada imediatamente ao seu médico.

Vale lembrar que o câncer de mama pode ser prevenido se a mulher fizer o exame do toque e pelo menos uma vez por ano fazer um checkup com ultrassom de mana e acima de 40 anos a mamografia. Se descoberto no início as chances de cura aumentam muito.

Lembre-se o Instituto Nacional de Câncer(INCA) estima para o Brasil, 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. Não se deixe entrar nesta estatística.

Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico na Angiodermoplastic. CRM 4385 e RQE 1266.Email: [email protected]