“Não teve nem negociação”, diz presidente sobre adeus de Jadson

O Corinthians espera apenas a troca de documentos e as assinaturas contratuais para anunciar a venda do meia Jadson para o Tianjin Quanjian, da China. O Timão já dá o negócio como sacramentado. O clube oriental pagará o valor da multa rescisória, € 5 milhões (R$ 21,2 milhões), e sequer dará a chance para o Timão concorrer com uma contraproposta.

– Não teve nem negociação. O Jadson aceitou a proposta, optou por ir e o clube chinês vai pagar a multa rescisória. Os papéis estão chegando – afirmou o presidente Roberto de Andrade, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

O Corinthians terá direito a 30% do valor, cerca de R$ 6,3 milhões, montante que provavelmente será injetado na contratação de um substituto para o meio-campista. Marlone, destaque do Sport no último Campeonato Brasileiro, é o nome da vez. O restante ficará com Jadson e o grupo de empresários que gerencia sua carreira.

De férias em Fortaleza, o meia já aceitou a oferta feita pelo clube chinês, em reuniões realizadas na última semana. Os números são impressionantes e não deram chances para o Corinthians tentar segurá-lo. Por dois anos de contrato, Jadson receberá cerca de R$ 50 milhões. Atualmente, ele ganha cerca de R$ 350 mil mensais no Timão.

Aos 32 anos, Jadson consultou a família antes de tomar sua decisão. Em fevereiro, ele recusou oferta do Jiangsu Sainty, também da China, porque ainda não tinha conquistado um título pelo Corinthians e buscava ter um ano regular – algo que alcançou com a ajuda do técnico Tite. Agora, ele entende que o atual momento é ideal para se aventurar na Ásia.