Najila Trindade lamenta arquivamento: “Palavra do Neymar vale mais que a minha”

Najila Trindade lamenta arquivamento:
Reprodução

Najila Trindade lamentou, na noite de terça-feira (13), o arquivamento do inquérito contra Neymarpelos supostos crimes de agressão e estupro. Em entrevista a jornalistas, no 11º Distrito Policial de São Paulo, a modelo disse acreditar que a palavra do jogador valeria mais.

“Eu acho normal, porque a palavra dele (Neymar) vale mais que a minha. É o caso de um jogador e eu sou só uma pessoa de família humilde. É muito mais fácil arquivar o caso do que ir atrás da verdade”, lamentou Najila, criticando diretamente a decisão de não indiciar o atleta.

Najila ainda explicou que as cenas do vídeo em que ela agride o jogador aconteceram porque ela imaginava que não haveria justiça no caso. “Foi uma explosão ali, porque no fundo eu sabia que não haveria justiça para ele, uma questão de honra também. Falei, cara, não vai ter justiça, mas vou fazer a minha”, afirmou Najila.



A modelo compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos sobre o suposto arrombamento de seu apartamento em São Paulo. Na versão dela, o tablet que armazenava as imagens do outro encontro com o jogador foi roubado na alegada invasão.

A decisão da justiça

O Ministério Público de São Paulo pediu na última quinta-feira (8) o arquivamento do inquérito que investiga a acusação de estupro feita pela modelo Najila contra o jogador Neymar.

As promotoras Flávia Merlini e Estefânia Paulin, da promotoria de Justiça e enfrentamento à violência doméstica, concluíram que não houve provas concretas de que o jogador Neymar estuprou e agrediu a modelo Najila Trindade.

Apesar do pedido de arquivamento do caso feito pelo MP, o inquérito pode ser aberto novamente caso surjam novas provas relevantes. De acordo com as promotoras, o caso ainda será analisado pela vara de violência doméstica.

Sobre o vídeo em que Neymar e Najila aparecem dentro de um quarto em um hotel de Paris, as promotoras disseram que as imagens foram insuficientes para provar qualquer tipo de agressão. As contradições e o fato de Najila não ter entregue o aparelho celular também pesaram na decisão da promotoria.

O jogador Neymar foi acusado de estupro pela modelo Najila após os dois se encontrarem em um hotel, em Paris. O encontro aconteceu no dia 15 de maio. No dia 31, já no Brasil, Najila registrou um boletim de ocorrência contra o jogador, alegando que teria sido estuprada e agredida pelo atleta.