Na Holanda, Novacki estreita relações comerciais e reforça qualidade da carne


Em missão que realiza a países europeus para maior aproximação e intensificação do comércio, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eumar Novacki, ouviu de Marjolijn Sonnema, diretora geral de Agricultura da Holanda, que a visita irá contribuir para melhorar a relação entre os dois países. "Estamos muito satisfeitos com a atenção dispensada pelo governo brasileiro", disse a diretora.

A visita à Holanda, encerrada nesta quinta-feira (1º) teve também o objetivo de esclarecer dúvidas relacionadas à Operação Carne Fraca, ocorrida em março. Na pauta de exportações para o país, se destacam carnes de frango e de peru industrializadas além de bovina in natura.

A representante do governo holandês informou que serão reavaliadas resistência a pleitos brasileiros na União Europeia e que buscará auxiliar no andamento de assuntos de interesse do Brasil junto ao bloco. Novacki informou que será criado um grupo de acompanhamento para monitorar avanços na relação entre os dois países. Adiantou que Mapa se esforçará, da mesma forma, para atender expectativas holandesas e que encaminhará missão técnica à Holanda, na primeira semana de julho, para avaliar o sistema de controle sanitário, com vistas à importação de carne de vitelo.

Em Roterdã, em encontro com autoridades do porto, o maior e mais moderno da Europa, Novacki informou sobre estudos realizados pela Embrapa Logística, que deverão orientar novos investimentos em infraestrutura para escoamento da safra brasileira. “A utilização de postos mais ao norte do Brasil se revelam mais interessantes para reduzir custos de produção na relação com boa parte dos países com os quais temos relações comerciais”, explicou o secretário. Segundo ele, há interesse em intensificar parcerias de investimentos nesse setor. A empresa que administra Roterdã já é parceria em projetos no Espírito Santo e no Ceará.

René Van Der Plas, principal executivo do Porto de Roterdã, que tem como principais acionistas o governo holandês e a prefeitura de Roterdã, falou do "imenso potencial de investimentos que o Brasil representa".

Em novembro, deverá ser realizado no país evento de promoção dos produtos brasileiros, que contará com comitiva do agronegócio, liderada por Novacki. "Nessa oportunidade, temos a expectativa de novo encontro com autoridades holandesas para um balanço positivo das premissas acordadas", disse o secretário. A embaixadora do Brasil na Holanda, Regina Dunlop, e o cônsul Cesar Amaral, acompanharam Novacki, na agenda com autoridades do país, além do diretor de Negociações Não-Tarifárias, Alexandre Pontes.

Novacki chega ainda hoje à França e vai depois à Polônia, em missão oficial. O esforço de negociação com países importadores visa atingir a meta traçada pelo ministro Blairo Maggi de ampliar a participação brasileira no agronegócio mundial dos 7% atuais para 10% em cinco anos. Maggi encerrou recentemente viagem ao Oriente Médio, que incluiu Kuwait, Emirados Árabes, Catar e Arábia Saudita.