Mulheres participam de roda de conversa sobre violência contra a mulher

tribunal de contas celebra 63 anos de fundação

"Nunca conte nada que se passa dentro de casa". Este foi o discurso que a servidora da Coordenadoria de Ações Preventivas da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Ana Paula Bomdespacho ouviu desde pequena de sua mãe. Durante 18 anos, ela sofreu agressão física e psicológica por parte do ex-marido, apesar de trabalhar com casos de violência diariamente.

Hoje, com um tipo raro de câncer, após ter passado por 14 sessões de quimioterapia e aguardando cirurgia, Ana Paula descobriu a força que ela possui para denunciar o caso, tanto que fez questão de dividi-lo durante a Roda de Conversa "Cabeça de Mulher", realizada nesta quarta-feira (17.08), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá.

O evento, promovido pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher) do Tribunal de Justiça (TJMT), em parceria com o Governo do Estado por meio do Núcleo de Ações Voluntárias (NAV), integra a semana de atividades da campanha Justiça Pela Paz em Casa.

"O que as famílias precisam é de alguém que tenha coragem". Este é o novo discurso adotado por Ana Paula após todo o sofrimento. Contudo, nem todas as mulheres se sentem encorajadas a denunciar os casos de violência doméstica. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o quinto país com maior número de feminicídios, crime de gênero previsto no Código Penal Brasileiro, com uma taxa de 4,8 por 100 mil habitantes.

Este ano, a campanha do Judiciário tem como foco públicos distintos, entre eles as lideranças comunitárias, os universitários e os militares. Durante a abertura da semana, que ocorreu na última segunda-feira (15.08), 900 policiais estiveram presentes, o que na opinião da coordenadora da campanha, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, foi de grande importância.

“Isso nos deixou fortalecidas porque percebemos, diante daquele público, que a questão da violência contra a mulher não é uma preocupação só nossa, mas também do homem. Ficamos emocionadas de saber que eles também se importam”, destacou a magistrada.

A roda de conversa contou com a participação de diversas autoridades e teve como público alvo as líderes comunitárias e presidentes dos Clubes de Mães, para que posteriormente atuem como multiplicadoras do conhecimento adquirido sobre o ciclo da violência e as medidas protetivas, a exemplo da Lei Maria da Penha.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, relembrou o período em que atuou como delegado da Polícia Civil no município de Cáceres, e os inúmeros atendimentos que fez de casos de vítimas de violência doméstica. Mas a lembrança mais marcante compartilhada com as mulheres presentes no evento foi o caso de agressão que a própria mãe sofreu pelo padrasto.

Atendimento especializado

Na oportunidade, o gestor aproveitou para informar que já está tomando medidas emergenciais para que os Centros Integrados de Segurança e Cidadania (Cisc) do bairro Planalto, em Cuiabá, e em Várzea Grande, ofereçam salas especializadas para o atendimento de mulheres vítimas de violência, que disponibilizarão equipes multidisciplinares de psicólogos e assistentes sociais, em uma parceria com a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT).

Emocionada, a primeira-dama do Estado e coordenadora do Núcleo de Ações Voluntárias, Samira Martins, agradeceu o convite da desembargadora Maria Aparecida Ribeiro para fazer parte da campanha e lembrou o compromisso assumido pelo governador do Estado, Pedro Taques. “No discurso do Pedro ele sempre diz que não vai deixar nenhum mato-grossense para trás e eu quero lembrar que isso também se estende às mulheres mato-grossenses”, frisou.

Também fizeram parte da roda de conversa a corregedora geral da Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Erotides Kneip, o juiz de Direito da 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Capital, Jeverson Luiz Quinteiro, a psicóloga Fernanda Valter, o presidente da Comissão de Direito de Família da OAB/MT, Augusto César Fortes Assumpção, a defensora pública das Varas de Violência Doméstica da Capital e presidente do Conselho Estadual da Mulher, Rosana Leite Antunes de Barros, e a presidente dos Clubes de Mães de Mato Grosso, Heloísa Dorileo.

A semana Justiça Pela Paz em Casa se estende até o próximo sábado (20.08). Confira a programação completaAQUI.