Mulheres participam de movimento #Brunonão em MT e empresa já tira marca de camisetas do clube




A noite do Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense, foi marcado não só pela estreia no Campeonato Mato-Grossense, mas sim pela manifestação feita em frente ao estádio Dito Souza, em Várzea Grande, nesta última terça-feira (21).

Um grupo formado somente por mulheres, foi até a frente do estádio, para uma manifestação contra a contratação do goleiro Bruno Fernandes (ex-Flamengo), e condenado pelo assassinato da então modelo Eliza Samúdio, com quem Bruno teve um filho.

O crime aconteceu em 2010 e somente em 2013, ele e demais envolvidos foram condenados. Na época o goleiro assumiu participação na morte de sua ex-amante, apesar do corpo nunca ter sido localizado.

As manifestantes alegam, que Bruno tem todo o direito de ser socializado, porém o futebol seria um formador de ídolos, no qual as crianças buscam e se espelham.

Algumas empresas já se apresentaram contra a contratação do atleta.

Resultado negativo

A Cooperativa Sicred, já impediu da marca ser veiculada ao clube e outras empresas também já estão entrando em contato com a direção da equipe.