Mulheres ainda buscam protagonismo na política local

Vilma saiu da Câmara de Vereadores e chegou à AL

A participação feminina na política de Rondonópolis sempre foi forte, desde começo da cidade, muitas mulheres se destacaram. No entanto, no dia internacional das mulheres, o momento político vê a representação feminina aos poucos diminuindo ou até mesmo desaparecendo.

Na Câmara de Vereadores, que sempre foi palco da presença feminina na política, as mulheres não têm representantes desde 2008, quando Mariúva Valentim Chaves, se elegeu pelo PMDB.

Desde de então são 12 anos sem representantes femininas na Câmara, apesar de muitas tentativas vistas nas últimas eleições.

Vale destacar que Rondonópolis já teve uma deputada federal, Teté Bezerra , duas estaduais, Vilma Moreira dos Santos e Ana Carla Muniz.

No executivo, a cidade também não está conseguindo ter representantes. Nas eleições passadas, o então candidato Rogério Salles lançou como vice, a ex-secretária de Saúde do município, Marildes Ferreira.

Por outro lado, em 2012, Marília Salles foi eleita vice, na chapa de Zé do Pátio. Ela chegou a assumir interinamente a prefeitura de Rondonópolis, tornando-se a primeira mulher prefeita da cidade, mesmo que de forme interina.

Em 2014, em eleição indireta, Valéria Belivácqua foi eleita vice, na chapa do então prefeito Ananias Filho.

Nas eleições de 1992, a professora universitária Marlene Silva de Oliveira Santos concorreu a cadeira de chefe do executivo municipal. Marlene era presidente da Câmara de Vereadores e concorreu contra Moisés Feltrin e Carlos Bezerra, ficando na terceira posição.