Ministro em exercício recebe organizadores da Festa Nacional do Vinho

Ministro em exercício recebe organizadores da Festa Nacional do Vinho
Noaldo Santos/Mapa Ministro Interino, Marcos Montes, recebe comitiva da Expobento/Fenavinho 2019

O ministro em exercício Marcos Montes (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) recebeu nesta quinta-feira (09) os organizadores da 29ª Expobento, feira de negócios de Bento Gonçalves (RS), e da 16ª Fenavinho, a Festa Nacional do Vinho, na mesma cidade. Participaram do encontro o prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, a imperatriz e as duas damas de honra da Fenavinho e dirigentes de entidades do setor, como o Instituto Brasileiro do Vinho.

Os organizadores convidaram Marcos Montes e a ministra Tereza Cristina para participar da abertura dos eventos, que vão ocorrer de 13 a 26 de junho.

Bento Gonçalves reúne alguns dos maiores produtores de vinhos do país e tem cerca de 14 mil famílias de produtores rurais vivendo do cultivo da uva. É também a sede da Embrapa Uva e Vinho, uma das mais importantes unidades da Embrapa.

O prefeito e os produtores informaram a Marcos Montes que estão preocupados com a concorrência desleal de produtores de vinho do Chile, que foram autorizados a adicionar até 7% de água no vinho exportado para o Brasil e outros países. De acordo com as entidades nacionais, o Brasil proíbe seus vinicultores de adicionar água no produto feito aqui, mas não impede a entrada dos vinhos chilenos com este percentual de água, o que barateia o produto daquele país e caracteriza concorrência desleal.

“O pior problema é causado por aqueles vinhos chilenos baratos que chegam às gôndolas dos supermercados por R$ 14 a R$ 20, com 7% de água. São esses que estão matando os nossos agricultores de fome, porque não existe competição possível”, disse Diego Bertolini, gerente de Promoção do Instituto Brasileiro do Vinho, informando que a mesma queixa já foi apresentada há 15 dias na reunião da Câmara Setorial de Viticultura, Vinhos e Derivados, do Ministério da Agricultura.

O ministro em exercício disse que vai encaminhar a reclamação dos produtores à Secretaria de Defesa Agropecuária do ministério, para que verifique a extensão do problema.

O prefeito de Bento Gonçalves também pediu o apoio de Marcos Montes e do Ministério para a reivindicação das entidades do setor de que o vinho seja considerado um alimento, já que consumo é considerado bom para a saúde. Para isso, será preciso mudar a legislação brasileira do setor.

Se o vinho for considerado alimento, os produtores brasileiros poderão reivindicar acesso às linhas de financiamento a juros subsidiados do Plano Safra, além de redução da carga tributária, entre outras vantagens, e as entidades acreditam que o consumo nacional vai aumentar.