Ministério da Saúde lança projeto para teste rápido de leptospirose

Fiocruz/Arquivo/Ilustrativa



O Ministério da Saúde e a Fiocruz Bahia lançam, nesta quinta-feira (13), projeto para avaliar a implantação de teste rápido para diagnóstico de leptospirose. O projeto tem como objetivo avaliar a efetividade do TR DPP® Leptospirose para auxílio na conduta diagnóstica e manejo clínico da doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os resultados do teste serão comparados com os demais métodos já existentes na rede.

O teste identifica, em sangue total, soro ou plasma, anticorpos para a leptospirose, apresentando resultado em até 20 minutos. É uma ferramenta de fácil uso para diagnóstico em campo ou laboratório, com a vantagem de ser uma opção portátil, simples e rápida.

O teste foi desenvolvido por pesquisadores da Fiocruz Bahia a partir da parceria com Bio-Manguinhos, unidade produtora de imunobiológicos da Fiocruz nacional. Os primeiros testes com o kit já foram realizados em Salvador (BA).

O projeto deverá contar com participantes de todas as regiões do país. A região Sudeste foi sugerida para iniciar o projeto devido às chuvas acentuadas que vem atingindo Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, pois as inundações favorecem a ocorrência de casos de leptospirose. Uma das formas de transmissão da doença é o contato com a água contaminada por urina de animais infectados. Posteriormente, as demais regiões serão contempladas pelo projeto.

O kit de diagnóstico será usado em ambiente hospitalar, para auxiliar e dar oportunidade ao tratamento específico da doença. A partir de sua disponibilização, os médicos terão em mãos mais um subsídio para iniciarem o tratamento, mesmo sem confirmação diagnóstica laboratorial em padrão ouro, que pode demorar cerca de um mês, fortalecendo a conduta clínica e reduzindo as chances do paciente evoluir com gravidade e possivelmente ao óbito.

O lançamento será realizado na Bahia, em evento que será encerrado apenas na sexta-feira (14), e contará com dois representantes da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde: o diretor do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis, Julio Croda; e o coordenador-geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), André Luiz de Abreu.

Também participam das atividades o coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fiocruz, Rivaldo Venâncio; o diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma; a diretora do Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (LACEN/BA), Arabela Leal; e a presidente do Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (COSEMS/BA), Stella Souza.

Como parte da programação do evento, a sessão científica intitulada “Rede Nacional de Laboratórios de Saúde Pública: desafios e perspectivas” será ministrada por André Luiz de Abreu. A palestra é aberta ao público e será realizada no dia 14 de fevereiro, às 9h.

Os representantes da SVS visitarão, ainda, o Laboratório de Nível de Biossegurança 3 (NB3) da instituição e realizarão reuniões com os pesquisadores da Fiocruz Bahia, com a diretoria do LACEN/BA e do COSEMS/BA.