MENOPAUSA PRECOCE

Picture of Mike Alves

Mike Alves

Pixabay

MENOPAUSA PRECOCE

Compartilhe:

A menopausa é um período determinante na vida da mulher, que assinala a interrupção natural do seu processo de menstruação e, simultaneamente, o final do período reprodutivo. Há quem olhe para esta como o final do que chamamos commumente de relógio biológico da mulher, mas é muito mais que isso, já que interfere significativamente com o bem-estar físico e psicológico da mulher. Acontece por volta dos 50 anos de idade, mas o que nem toda a gente sabe é que existem vários factores que podem provocar ou acelerar uma menopausa precoce

Existem vários sintomas da menopausa, mas o principal é o final do processo de menstruação. Esta começa por ser cada vez menos frequente até ser interrompida por completa. Mas não só. Outros sintomas comuns da menopausa são episódios repentinos de ondas de calor, a secura vaginal, mudanças súbitas de humor, alguma dificuldade em dormir, aumento de peso, depressão, dores musculares ou dores de cabeça com alguma frequência.

Estes sintomas não podem ser propriamente curados, porque não estamos a falar de uma doença, mas existem várias mudanças que pode adoptar na sua vida regular que permitem eliminar alguns sintomas e aliviar outros tantos. Além disso, em caso de dúvida ou de algum problema persistente, a mulher deve ser recorrer ao seu médico, pois só o diagnóstico especializado por tirar conclusões certeiras. No fundo, passa por adoptar uma postura sensata, responsável e inteligente na sua vida.

O QUE PODE LEVAR À MENOPAUSA PRECOCE?

Mencionámos nas linhas acima que a menopausa acontece por volta dos 50 anos de idade da mulher, se bem que pode começar antes, aos 45 anos. Quanto acontece a partir dos 52 anos, designa-se de menopausa tardia. E, como é fácil de deduzir, quando acontece pelo menos 1 ano antes dos 45 anos de idade, designa-se de menopausa precoce. E, como também já tivemos oportunidade de referir anteriormente, existem alguns factores que podem potenciar esse desenvolvimento antecipado.

Tendo em conta que a menopausa acontece devido à falta d produção de determinadas hormonas por parte dos ovários e do organismo da mulher, a menopausa precoce pode ser despoletada como um efeito secundário de tratamentos contra o cancro, por exemplo. Também existem muitos casos em que isso acontece após um procedimento cirúrgico para retirar os ovário ou por insuficiência ovária, seja por causas hereditárias seja por infecção ou doença.

No entanto, os estudos científicos mostram também que a menopausa precoce pode acontecer de forma natural. Ou seja, os ovários deixam de produzir hormonas como o estrogénio ou a a progesterona, que são fundamentais para regular o processo menstrual, interrompendo o período reprodutivo da mulher e diminuindo a sua fertilidade. Como é óbvio isso leva a alterações físicas e, consequentemente, psicológicas no seu bem-estar, podendo afectar seriamente a qualidade da sua vida.

COMO ALIVIAR OS SINTOMAS DA MENOPAUSA PRECOCE?

Tendo em conta que não estamos a falar de uma doença, também não é propriamente possível eliminar os sintomas da menopausa precoce. No entanto, existem várias formas de diminuir ou aliviar esses sintomas. Até porque, muitos deles, acabam por desaparecer com o passar do tempo, à medida que o organismo se vai habituando às suas novas condições. 

Assim, uma das formas mais eficientes de tratar os sintomas da menopausa precoce, que têm crescido inclusive de popularidade junto das mulheres, é através da terapia hormonal. Este é um tratamento à base de estrogénio, que permite diminuir o desconforto, os suores repentinos e a depressão e mudança de humor. É uma terapia que deve ser efectuada durante um curto período de tempo, contribuindo igualmente para diminuir o risco de acidente cardiovascular ou o cancro da mama.

Existe ainda a possibilidade de optar antes por uma terapia vaginal, que consiste em administrar directamente estrogéneio na vagina, mas que é um processo muito mais limitado. O mais recomendado continua a ser a adopção de um estilo de vida saudável, até porque os seus benefícios são muito mais alargados. Assim, a adopção de uma alimentação equilibrada é o conselho mais significativa. Uma alimentação rica em minerais, vitaminas e hidrato de carbono, deixando de fora gorduras saturadas, açúcar ou bebidas alcóolicas, ajuda a regular os níveis de hormonas e a satisfazer todas as necessidades diárias da mulher. Finalmente, mas não menos importante, é recomendada a prática de exercício físico regular, até porque isso combate o excesso de peso e outros problemas associados. 

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp