Vírus “primo do HIV” volta a gerar alerta de médicos

Alerta sobre vírus primo do HIV



Um vírus antigo conhecido como “primo do HIV” voltou a gerar alerta, depois de infectar e matar diversas pessoas no norte da Austrália nos últimos meses. Médicos agora emitem alerta para a necessidade de grandes esforços a fim de combater a propagação do HTLV-1.

As taxas de infecção pelo vírus HTLV-1 (ou vírus linfotrópico de células humanos do tipo I) são superiores a 40% entre adultos em regiões remotas da Austrália central, sendo as comunidades indígenas as mais atingidas, especialmente na cidade de Alice Springs.
Assim, muitos médicos – incluindo o que descobriu a existência do vírus há 40 anos – advertem sobre a falta de interesse da comunidade científica em criar modos de prevenção, teste e tratamento.

“A prevalência da doença nem aparece nos gráficos da Austrália”, explica Dr. Robert Gallo, co-fundador e diretor do Instituto de Virologia Humana da Universidade de Medicina de Maryland, onde o HTLV-1 foi primeiramente detectado, em 1979. Ele ainda critica a falta de ação sobre um possível tratamento.

“Ninguém que eu conheça tem feito alguma coisa para o tratamento disso”, aponta. “Há um pequeno esforço para os efeitos da vacina, além de algumas pesquisas japonesas. Assim, a prevenção através da vacina está amplamente aberta para estudo”, completa.