Max Russi se reúne com comunidades terapêuticas de Cuiabá e Várzea Grande

JOSÉ MARQUES / ASSESSORIA



O presidente da Federação das Comunidades Terapêuticas (CTs) do Centro Oeste, Alonso Alcântara de Moura, avaliou positivamente a reunião da última sexta-feira (22), entre o deputado Max Russi e representantes de sete instituições, de Cuiabá e Várzea Grande, sendo elas:

Paraíso, Rosa de Saron, Val de Jaboque, Help Vida, Tenda de Abraão, Casa de Davi e Vida Serena. O objetivo é reunir as principais demandas e instituir um plano estratégico de políticas públicas.

“Lá pudemos expor as nossas reivindicações, pois acreditamos na atuação de Max, junto aos órgãos competentes. Dessa forma, poderemos caminhar juntos”, avaliou o presidente, principal articulador desse encontro com o parlamentar.

Max Russi reforçou a posição de que o trabalho, desenvolvido por essas comunidades, é essencial para a reinserção social.

Ele defende que o aumento do incentivo às CTs, traria maiores resultados aos tratamentos com dependentes químicos, porém avaliza que ouvir e debater os principais problemas, enfrentados por cada instituição, se torna o primeiro passo para uma ação conjunta e com mais eficácia.

“Quem está à frente desse trabalho sabe das principais dificuldades e tem um papel fundamental na vida dessas pessoas, que sofrem sérios transtornos pelo uso, abuso ou dependência de drogas”, analisa Max.

Em meados de maio, o deputado Max se posicionou contra o veto parcial, oposto ao Projeto de Lei nº 544/17, que dispõe sobre alterações no Programa de Incentivo ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat), e saiu em defesa da destinação de parte dos recursos às CTs de Mato Grosso.

“As comunidades terapêuticas passam por dificuldade e não têm apoio expressivo. Muitas delas são tocadas por igrejas, a duras penas”, justificou. O projeto vetado, de autoria do deputado Sebastião Rezende (PSC), destinaria parte dos recursos do Proalmat às comunidades terapêuticas, especificamente do montante a ser investido na área social.

“Sabemos que o problema de incentivo é algo que assola o país inteiro e Mato Grosso não é diferente disso. Tenho defendido essa bandeira e estamos caminhando. Temos que ter mais preocupação nesse sentido, pois todo o apoio é necessário”, concluiu Max Russi.