Maquiadora de Cuiabá é a 1ª mulher trans a disputar o Miss Brasil

Maquiadora de Cuiabá é a 1ª mulher trans a disputar o Miss Brasil

Concurso acontece nesta sexta-feira (6), em Balneário Camboriú (SC). Isabelle Castro, de 28 anos, disputará a coroa com outras 26 candidatas.

A modelo e maquiadora de Cuiabá, Isabelle Castro, de 28 anos, representando Mato Grosso, disputará o Miss Supranational Brasil na noite desta sexta-feira (6), em Balneário Camboriú (SC). Segundo o Concurso Nacional de Beleza (CNB), essa é a primeira vez que uma mulher transgênero concorre ao título.

Isabelle também foi a primeira mulher trans que ganhou o título de miss na capital mato-grossense.

O concurso nacional que acontece nesta sexta abre oficialmente a temporada da beleza no país. No sábado (7), será disputado também o Mister Brasil CNB.

Isabelle Castro, 27 anos, eleita Miss Cuiabá CNB 2021 — Foto: Reprodução

Isabelle Castro, 27 anos, eleita Miss Cuiabá CNB 2021 — Foto: Reprodução

Isabelle Castro é natural de Cuiabá e trabalha como maquiadoras em Cuiabá. Ela se descreve como “mulher guerreira, determinada, que luta incansavelmente por igualdade e por dias melhores”.

A candidata disputará o título nacional com outras 26 representantes de unidades da federação e de regiões de todo o Brasil.

As candidatas chegaram em Camboriú na terça-feira (3) para participar de uma série de desfiles e eventos, fotos e gravações, que antecedem a coroação.

Além de Isabelle, no grupo há advogadas, médicas, arquitetas, dentistas, uma patinadora artística no gelo, além de estudantes universitárias e influenciadoras digitais.

Vaga para o mundial

De acordo com o CNB, a vencedora sucederá Deise Benício e disputará o mundial no dia 15 de julho, na cidade de Nowy Sacz, na Polônia. A ganhadora também será a primeira a receber a nova coroa do concurso, uma joia exclusiva criada pelo designer de joias Tiago Seixas.

Dos 5 concursos mais importantes do planeta, grupo chamado de Grand Slam (Miss Mundo, Miss Universo, Miss Grand International, Miss International e Miss Supranational), o Miss Supranational é o único que nunca teve uma brasileira entre as cinco primeiras classificadas desde que foi criado, em 2009.

O melhor resultado do Brasil foram os sextos lugares obtidos por Karine Osório (2009) e Bárbara Reis (2018). Segundo o CNB, a vencedora da disputa nacional terá a difícil missão de quebrar esta regra.

Noticias Relacionadas