Manifesto dos Empresários é entregue para Pedro Taques

Entidades entregam Manifesto dos Empresários para candidatos
Patrícia Casali/Assessoria

Entidades representativas entregaram hoje (4) o Manifesto dos Empresários ao governador Pedro Taques (PSDB) candidato à reeleição. O documento com uma pauta extensa composta de itens que vão desde o pedido de não aumentar impostos, passando pela Reforma Administrativa, Reforma Tributária pede o compromisso do futuro governador em trabalhar pelo desenvolvimento do Estado, sem onerar mais o setor produtivo.

Pedro Taques foi o primeiro a participar do encontro com os empresários e produtores. Ainda nesta semana, na quinta-feira, às 17 horas na ACIR, será a vez do senador e também candidato Welinton Fagundes (PR) receber o documento. E está sendo organizada a agenda com o candidato Mauro Mendes (DEM).

O manifesto elenca o que os empresários desejam do novo gestor público e foi elaborado por diretores da Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL), Associação Comercial, Industrial e Empresarial (ACIR), Sindicato do Comércio Varejista e Sindicato dos Produtores Rurais, com base na realidade do dia a dia dos diretores, dificuldades que enfrentam em relação aos serviços prestados pelo Governo do Estado e impressões das gestões públicas.

Além de sugestões, o documento solicita investimentos em infraestrutura e a desburocratização dos órgãos públicos.

Para o presidente da CDL de Rondonópolis, Neles Walter Ferreira de Farias, o documento resume necessidades e situações que merecem um olhar do futuro gestor do Estado.

“Não tem mais como o empresário pagar imposto, é necessário que o futuro governador pense em como organizar a conta e investir em educação, saúde e segurança entre outras necessidades”.

Lucindo Zamboni Júnior, vice-presidente do Sindicato dos Produtores Rurais enfatizou o apelo: “não tem mais como o produtor pagar impostos, tem que deixar quem produz trabalhar”.

E solicitou a não continuidade do Fethab, fundo cobrado de produtores para a melhoria de estradas e criação de conjuntos habitacionais que vence agora em dezembro.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista, Almir Batista de Santana, salientou que o povo anda desmotivado e desconfiado da política e dos políticos e que embora a haja uma descrença geral é necessário participar do momento político ímpar o Brasil vive. “A hora de participar é agora e deixar claro o que queremos”, ressaltou.

Jaurez Orsolim, presidente da Acir destacou que a administração pública precisa usar conceitos de gestões privadas para conseguir mais eficiência nos processos, usando na rotina fundamentos da economia e visando processos mais sustentáveis.

No encontro, Pedro Taques discorreu sobre problemas superados e disse não ter tido tempo de avançar em alguns setores por ter boa parte dos recursos comprometidos com pagamento de folha e de dívidas antigas, entre elas da Copa do Mundo, que deixou uma herança de desvios de dinheiro público.

Segundo ele, de R$ 100,00 arrecadados hoje em Mato Grosso somente R$ 3,00 são destinados a investimentos.

Também discorreu sobre números e destacou avanços em vários setores, ressaltando iniciativas que reduziram despesas, mas disse que não foi o bastante e que precisa de mais tempo para implementar o que planejou para o Estado.

Sobre as denúncias sobre a Caravana da Transformação, o governador disse é inocente e que as cirurgias em questão não foram pagas pelo Governo e que isso será provado.